Corpo de 2º operário é encontrado em escombros de prédio no Pará

Corpo de outro operário já havia sido encontrado durante a madrugada nos escombros do prédio que caiu em Belém, no último sábado

iG São Paulo |

O Corpo de Bombeiros localizou, por volta da 14 desta quarta-feira, mais um corpo que estava sob os escombros de um prédio de 32 andares que desabou no sábado em Belém (PA). A vítima encontrada nesta tarde é Manoel Raimundo Paixão Monteiro, que seria o segundo operário que estava na obra durante o desabamento.

Com isso, já são três as mortes confirmadas no desabamento do edifício Real Class. O corpo de José Paulo Barros, de 62 anos, já havia sido encontrado por volta da 1h desta quarta-feira. No domingo, foi localizado o corpo de Maria Raimundo dos Santos, de 67 anos.

Dois funcionários, Luis Nazareno Lopes e Isaias Marques Maffra, que chegaram a ser dados como possíveis vítimas, foram encontrados em casa. Eles haviam deixado o prédio pouco antes do acidente.

O acidente

O desabamento da obra soterrou duas casas vizinhas e destruiu dois carros. Três prédios próximos também tiveram de ser evacuados.

O jornalista Jorge Calderaro, morador de uma casa próxima, disse que estava na rua quando o desabamento começou e conta que houve uma forte ventania e um estalo. "Vi o edifício começar a desabar. Minha única reação foi correr para minha casa para chamar minha família", conta. Ele, a mulher e o filho se salvaram. O edifício estava localizado em uma área de muito movimento e o desabamento provocou pânico em pessoas que passavam pelo local. As causas do acidente ainda não foram esclarecidas.

A construtora Real Engenharia, responsável pela obra, divulgou comunicado à imprensa no qual lamentou o ocorrido. "A empresa está solidária com todos os envolvidos no acidente e, ao mesmo tempo, garante que não medirá esforços para investigar as causas do episódio e dar assistências à pessoas atingidas."

A nota da Real Engenharia diz, ainda, que a empresa aguarda os laudos periciais e está "disponível para os procedimentos que o caso exige". A empresa atua há 27 no mercado de construção e incorporação e, segundo o comunicado.

    Leia tudo sobre: desabamentoparáconstruçãomortos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG