Celebridades fazem campanha contra a divisão do Pará

Jogadores de futebol, atriz e cantora são contra divisão do Estado. Políticos de outros Estados defendem separação

Wilson Lima, iG Maranhão |

TV Globo/ Divulgação
Dira Paes, que é contra a divisão do Pará
As campanhas contra e a favor da divisão do Pará em mais dois Estados (Tapajós e Carajás) começaram oficialmente nesta terça-feira, 13 de setembro. Neste primeiro momento, são permitidas apenas a realização de comícios, panfletagem, divulgação das campanhas em carros de som e por meio da internet. A propaganda em rádio e na televisão começa em 11 de novembro, um mês antes do plebiscito.

Leia também: Fafá de Belém é contra divisão do Pará e diz que Estado é "soma dos seus cheiros"

Oficialmente, as campanhas pró e contra a divisão do estado vão colocar de lados opostos personalidades do esporte e música e líderes políticos. Os jogadores do Santos, o meia Paulo Henrique Ganso e o lateral-direito, Marcos Rogério Lopes, o Pará, já confirmaram participação na campanha pelo não à divisão do Estado. A atriz Dira Paes e a cantora Fafá de Belém também farão campanha contra a divisão do Estado.

Reprodução
Pela proposta, o Pará será o menor dos três Estados surgidos da separação
Do lado do “sim” pela criação de Tapajós e Carajás, até o momento, o maior nome é o do publicitário Duda Mendonça. As frentes a favor da divisão do Pará serão reforçadas por políticos de outros Estados e por governador e ex-governadores do Tocantins, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.As duas frentes prometem reunir, no mesmo lado, adversários políticos de partidos como PSDB, PR e PT. Um exemplo são as frentes contra a divisão do Pará: duas são lideradas por caciques do PR no Pará e outra por líderes do PSDB.

Oficialmente, foram formalizadas cinco frentes que deverão entrar na disputa. São três frentes contra a divisão e duas a favor.

As três frentes contra a divisão do Pará têm como coordenadores os deputados estaduais Eliseu Faustino (PR) e Celso Sabino (PR), além do deputado federal Zenaldo Coutinho (PSDB), ex-chefe da Casa Civil do governo Simão Jatene (PSDB). Mas uma destas frentes ficará de fora. Existe uma disputa entre Faustino e Sabino para saber qual fará o embate contra a criação de Tapajós. A frente liderada por Coutinho fará campanha contra Carajás.

Do lado separatista, foram registradas duas frentes: a Frente Pró-Estado de Tapajós, coordenada pelo deputado federal Lira Maia (DEM-PA), e a “Frente por um Pará mais forte”, liderada pelo deputado estadual João Salame (PPS), pró-Carajás.
A princípio, as três frentes contra a divisão do Estado estão realizando ações independentes enquanto as frentes a favor da divisão do Pará trabalham de forma articulada.

As primeiras manifestações públicas foram coordenadas pelas frentes a favor da divisão do Pará, com atos públicos em Marabá (possível capital de Carajás) e nas 27 cidades que poderão compor o Estado de Tapajós. Cada frente, pelas regras estipuladas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), poderão gastar até R$ 10 milhões na campanha.

    Leia tudo sobre: ParáTapajósCarajásplebiscito

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG