Garimpeiro encontra avião desaparecido há mais de um mês no Pará

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Aeronave caiu levando 5 pessoas e foi encontrada próxima a cidade de destino. FAB confirmou que avião era o desaparecido

Um garimpeiro localizou no final da tarde desta terça-feira (22), a cerca de 20 km a noroeste do município de Jacareacanga, no sudeste do Pará, em uma região de mata fechada, o bimotor Beechcraft BE 58 Baron, desaparecido desde o dia 18 de março. A aeronave, que transportava cinco pessoas a bordo, desapareceu cerca de uma hora depois de decolar do Aeroporto de Itaituba com destino à Jacareacanga. Ainda não há informações sobre as vítimas.

O caso: Avião bimotor desaparece no Pará

Buscas: Força Aérea retoma busca por avião desaparecido no Pará

Reprodução/TV Globo
Mensagem de socorro de uma das passageiras a bordo de avião desaparecido no Pará

De acordo com o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), um garimpeiro informou ter encontrado os destroços de um avião a 10 milhas do centro de Jacareacanga. Três militares da Força Aérea Brasileira (FAB), acompanhados de policiais militares, chegaram até o local indicado no início da noite e identificaram a aeronave.

Devido à falta de luminosidade, os militares não entraram no equipamento para identificar as vítimas. Equipes de busca estão no local para concluir a operação de resgate. Até o momento, ainda não foi possível confirmar a situação dos ocupantes do bimotor.

Especial: Relembre 30 acidentes aéreos que marcaram o Brasil

Veja imagens dos desastres aéreos mais misteriosos do mundo:

Varig 967: o avião desapareceu no Pacífico cerca de 20 minutos após decolar do Japão rumo ao Brasil. Destroços jamais foram achados. Foto: Reprodução/YoutubeMalaysia Airlines: avião desapareceu no dia 8 com 239 pessoas a bordo para a China. Ainda não há dados concretos sobre sua localização. Foto: APMalaysia Airlines: parentes dos passageiros chineses desaparecidos choram após pedir informações sobre o sumiço da aeronave. Foto: APHelios Airways: voo 522 ia do Chipre à Grécia e caiu. Mas, segundo investigação, os 117 passageiros morreram sufocados horas antes da queda. Foto: Reprodução/YoutubeHelios Airways: investigações sobre o voo, que ia do Chipre à Grecia, afirmam que pilotos não conseguiram pressurizar a cabine. Foto: Reprodução/YoutubeSteve Fosset: americano sumiu com seu monomotor ao sobrevoar o deserto de Nevada em 2007. Destroços foram encontrados um ano depois. Foto: Getty ImagesSteve Fosset: destroços do monomotor que o aventureiro americano pilotava quando desapareceu sobre o deserto de Nevada, EUA, em 2007. Foto: Getty ImagesTrans World Airlines: voo 800 dos EUA explodiu ao decolar e as 230 pessoas a bordo morreram. Investigação aponta curto-circuito 'suspeito'. Foto: Wikimedia CommonsEgypt Air: voo 990 ia dos EUA ao Egito e caiu no Atlântico em 1999, deixando 217 mortos. EUA dizem que copiloto derrubou avião de propósito. Foto: Wikimedia CommonsB47: aeronave com material para armas nucleares sumiu no Mediterrâneo em 1956. Nem avião ou seus três tripulantes foram encontrados. Foto: Wikimedia CommonsAir France: avião caiu no Atlântico em 2009 e as caixas-pretas foram encontradas 2 anos depois. As 228 pessoas a bordo morreram. Foto: Wikimedia CommonsAer Lingus: avião irlandês sumiu em 1968 após 'algo incomum' atingir a aeronave e matar os 61 a bordo. Foto: Wikimedia CommonsTorpedeiros: na 2ª Guerra Mundial, Marinha dos EUA enviou 5 aviões com 14 tripulantes ao Triângulo das Bermudas. Eles nunca mais voltaram. Foto: Wikimedia CommonsPan Am: em 1957, voo 7 sumiu entre a Califórnia e o Havaí e foi encontrado após 5 dias. Autópsias indicaram que pessoas a bordo morreram intoxicadas. Foto: Reprodução/YoutubeVoo 571: avião uruguaio caiu nos Andes em 1972 e teve 19 sobreviventes, que recorreram ao canibalismo até ser resgatados dois meses depois. Foto: Reprodução/YoutubeStar Dust: em 1947, avião da British Avro Lancastrian caiu nos Andes da Argentina rumo ao Chile. Destroços foram descobertos 50 anos após a queda. Foto: Reprodução/YoutubeLady Be Good: avião de bombardeio saiu da Itália em 1943 e nunca mais voltou à base na Líbia. Soube-se, 15 anos depois, que sua rota foi alterada. Foto: Reprodução/YoutubeAmelia Earhart: 1ª mulher a pilotar avião que cruzou o Atlântico, desapareceu em 1937 no Pacífico e foi declarada morta 2 anos depois. Foto: © APTiger Line 739: em 1962, o voo saiu da ilha de Guam, EUA, com 90 a bordo rumo às Filipinas e nunca mais foi encontrado. Foto: Reprodução/YoutubeVittorio Missoni: estilista italiano e sua família morreram a bordo de um avião venezuelano. Eles só foram encontrados 6 meses após o acidente. Foto: Getty Images

A aeronave de prefixo PR-LMN, pertencente à empresa Jotan Taxi Aéreo, prestava serviço à Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), ligada ao Ministério da Saúde. De acordo com o ministério, estavam a bordo as técnicas de enfermagem Rayline Sabrina Brito Campos, Luciney Aguiar de Sousa e Raimunda Lúcia da Silva Costa, o motorista Ari Lima e o piloto Luiz Feltrin.

O avião decolou às 11h40 e desapareceu cerca de uma hora e 20 minutos após o último contato. Uma das passageiras, a auxiliar de enfermagem Rayline, conseguiu enviar mensagem por celular para um tio. "Tio estou em temporal", diz um dos textos. Em seguida, outra mensagem afirma: "O motor está parando. Socorro, tio".

Avião partiu de Itaituba com destino a Jacareacanga:

Segundo a FAB, A área já havia sido sobrevoada por diversas vezes, mas as condições da região não permitiam o avistamento aéreo. Ao todo, a FAB contabilizou mais de 230 horas de voo e a área coberta ultrapassou a 28 mil km² sobrevoados, equivalente a cinco vezes o território do Distrito Federal.

Durante 35 dias, foram engajados 50 militares da FAB na missão, sob a coordenação do Salvaero Amazônico. Um helicóptero H-60 Black Hawk, aeronaves P-95 Bandeirante Patrulha e SC-105 Amazonas, além da aeronave de patrulha P-3 AM. O mau tempo na região, especialmente a formação de nevoeiros, a cheia no rio Tapajós e a vegetação dificultaram os trabalhos.

O Primeiro Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SERIPA I) do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA) já iniciou as investigações dos fatores que contribuiram para o acidente.

* Com informações da Agência Brasil

Leia tudo sobre: aviãoparáacidente aéreofab

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas