Outros 20 internos feridos no motim continuam internados em unidades de saúde em Belém. Cinco morreram no local

Agência Brasil

Seis detentos do Centro de Detenção Provisório de Icoaraci (Cdpi), região metropolitana de Belém (PA), morreram devido às queimaduras sofridas durante um princípio de incêndio provocado pelos próprios detentos em uma das celas da unidade penitenciária, na noite de terça-feira (8). Outros 20 internos feridos no motim continuam internados em unidades de saúde da capital paraense.

São Paulo: Rebelião na Fundação Casa termina com três funcionários hospitalizados

Segundo a Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe), os presos se amotinaram e atearam fogo em colchões da cela 25, onde 32 prisioneiros cumpriam pena. Desses, cinco morreram no próprio local.

A sexta vítima fatal, que morreu por volta das 8 horas de hoje e cujo nome ainda não foi divulgado, chegou a ser levado para o Hospital Metropolitano, em Ananindeua (PA), mas não resistiu aos ferimentos. Ainda esta manhã, os médicos que o atenderam vão conceder uma entrevista coletiva para explicar detalhes sobre o caso.

Dos outros 26 presos que sofreram queimaduras entre graves e leves, seis já receberam alta e foram encaminhados para diversas unidades prisionais da região metropolitana de Belém, onde a Susipe garante que eles continuarão recebendo o tratamento médico adequado. Dezoito continuam internados no Hospital Metropolitano de Ananindeua e dois no Hospital Mário Pinotti, na capital.

A Divisão de Homicídios instaurou inquérito para apurar as circunstâncias do motim. Peritos estiveram no local esta madrugada.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.