Alimentos feitos com ovos são responsáveis por 64% dos casos de infecção alimentar por bactérias do gênero Salmonella no Estado de São Paulo. A Secretaria de Estado da Saúde analisou 199 surtos ocorridos entre 1999 e 2007.

Mais de 6 mil pessoas sofreram com a ingestão de alimentos contaminados nesse período. Cerca de 37% dos casos de infecção estão relacionados à ingestão de ovos crus ou mal cozidos. Outros 27% foram causados por pratos feitos a base de ovos como maioneses caseiras, coberturas de bolos, salgados e lanches.

A maior parte das contaminações ocorreram em restaurantes, lanchonetes, padarias e bares: alimentos servidos nesses estabelecimentos causaram 34% dos surtos. Em segundo lugar, com 22%, estão as comidas preparadas em casa. O consumo em festas foi responsável por 14% dos surtos no período.

A epidemiologista Maria Bernadete de Paula Eduardo, coordenadora do estudo, explica que a doença foi trazida para o Brasil por galinhas européias. “A bactéria pode migrar do intestino para os ovários das aves”, explica Maria Bernadete. “Quando isso acontece, os ovos estão, desde a origem, contaminados pela Salmonella.” Para evitar o contágio, recomenda-se manter os ovos refrigerados, da produção à comercialização, além de cozinhá-los bem antes do consumo.

O sintoma mais comum da salmonelose é a diarréia, que pode vir acompanhada de febre, vômitos e cólicas. Nos casos mais graves, o microrganismo entra na corrente sanguínea e pode levar à morte, constituindo um risco especial para crianças, idosos, pacientes imunodeprimidos e mulheres grávidas. Segundo levantamento do Ministério da Saúde, mais de 110 mil pessoas ficaram doentes por ingerir alimentos contaminados no País, de 1999 a 2007. As informações são do Jornal da Tarde.

AE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.