transição , contrata diretor artístico e efetiva Tortelier até 2011 - Brasil - iG" /

Osesp conclui transição , contrata diretor artístico e efetiva Tortelier até 2011

SÃO PAULO ¿ A Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo anunciou nesta terça-feira (08) a criação do cargo de diretor artístico, assumido pelo crítico e professor Arthur Nestrovski, e a efetivação do maestro francês Yan Pascal Tortelier, contratado em regime de emergência para a temporada 2009, como regente titular até o final de 2011.

Mauricio Stycer, iG São Paulo |

Divulgação

O maestro francês Yan Pascal Tortelier

As duas decisões concluem, na visão do Conselho de Administração da Osesp, o período de transição aberto com a inesperada demissão do maestro John Neschling, em janeiro deste ano.

Ao longo do período em que atuou na orquestra, a partir de 1997, Neschling acumulava as duas funções, de diretor e de regente principal. Desde a sua saída, buscava-se um nome para assumir a direção artística.

Na visão do presidente do Conselho, Fernando Henrique Cardoso, as decisões concluem uma transição difícil, pela presença muito marcante de Neschling na orquestra, mas realizada de forma tranquila, ainda que não com a velocidade desejada.

Nestrovski terá a palavra final sobre todas as decisões de caráter artístico da orquestra, mas efetivamente só poderá influir sobre a programação da Osesp de 2011, uma vez que o cardápio do ano que vem já está toda definido.

Fernando Henrique também informou que os músicos da orquestra terão, a partir de agora, três representantes no chamado comitê de busca, criado em fevereiro deste ano, originalmente para encontrar o substituto do maestro Neschling. O comitê, permanente, segue buscando regentes convidados, para atuarem esporadicamente na Osesp.

Também fazem parte do comitê dois membros do Conselho de Administração da Osesp (Luiz Schwarcz e Pérsio Arida), o diretor-executivo da Fundação Osesp, Marcelo Lopes, e os consultores internacionais Timothy Walker, diretor-executivo e artístico da Filarmônica de Londres, e Henry Fogel, ex-presidente da Liga Americana de Orquestras.

Ao comunicar as novidades aos músicos, o presidente do Conselho revelou ter se sentado no assento reservado ao maestro da Osesp e brincou: Me sentei no banquinho do maestro. Nem o presidente da República goza de tanto poder quanto o maestro. Mas, provocado por um jornalista, afirmou não ter planos de atuar nesta área.

Presente no encontro, o maestro Tortelier falou da sua alegria com a decisão da Osesp de efetivá-lo até o final de 2011 e sublinhou as limitações que teve em seu primeiro ano em São Paulo. 2009 foi o ano da transição. Peguei uma programação já feita pelo meu antecessor, disse. Como regente titular, Tortelier vai dedicar a Osesp entre oito e doze semanas por ano.

O maestro também comentou a notícia, revelada na segunda-feira pelo colunista Guilherme Barros, do iG , sobre a sua prisão, domingo, no aeroporto de Cumbica, ao chegar de Londres, por desacato à autoridade .

Tortelier tentou minimizar o episódio, afirmando que apenas discutiu com um agente da Polícia Federal por conta da longa fila destinada a viajantes estrangeiros no momento de entrar no país. Ele foi duro comigo, mas depois falei com uma segunda agente, educada, que concordou comigo que a entrada de estrangeiros na imigração poderia ser mais fácil.

Nestrovski, de 50 anos, aceitou o convite de diretor artístico na última sexta-feira. Ainda não tem planos definidos para a sua atuação, mas falou da preocupação com o trabalho de caráter educativo da Osesp, bem como o de promover debates, simpósios e palestras destinados a discutir a música. É importante atrair o debate cultural brasileiro para dentro da Sala São Paulo, disse.

Leia mais sobre: Osesp

    Leia tudo sobre: osesp

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG