Oscar pode finalmente estar ao alcance de Kate Winslet

LOS ANGELES ¿ Quer ela ganhe ou perca na cerimônia do Oscar, no domingo, a atriz britânica Kate Winslet entrará para a história dos prêmios da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas.

Redação com Reuters |

As possibilidades são duas: ou Winslet, 33 anos, passa à frente de sua rival principal, Meryl Streep, para receber seu primeiro Oscar, pelo papel de uma mulher com passado nazista secreto, em "O Leitor", ou dividirá com outras atrizes o título dúbio de maior perdedora, por ter sido indicada seis vezes para o prêmio cobiçado e perdido todas.

A julgar pelas apostas, Kate Winslet deve ir preparando seu discurso de aceitação da estatueta. "Acho que chegou o momento dela. Quando os membros da Academia votarem, estarão pensando não apenas em 'O Leitor' mas também em 'Foi Apenas Um Sonho'", disse o crítico de cinema Pete Hammond, do Hollywood.com, falando sobre os dois filmes estrelados por Winslet lançados com poucas semanas de distância um do outro em 2008.

As três outras indicadas ao Oscar de melhor atriz são Anne Hathaway, pelo papel de irmã ressentida em "O Casamento de Rachel", Melissa Leo, pelo drama "Rio Congelado", e Angelina Jolie, pelo papel de mãe à procura de seu filho em "A Troca".

Winslet educadamente diz que adoraria ganhar o Oscar, mas este ano já está contente com o fato de competir com colegas de tanto talento. "Foi um ano fantástico, de interpretações extraordinárias de homens e mulheres de todas as partes", comentou a atriz no almoço que reuniu os indicados ao Oscar no início do ano.

"Portanto fazer parte dessa comunidade global do cinema neste ano em particular, com estas indicações, neste momento de minha vida, sinto como algo ainda mais comovente", acrescentou.

Mas diante a possibilidade de ver a ambicionada estatueta ir mais uma vez para as mãos de outra atriz, Winslet afirma que não terá dificuldades em esconder sua frustração.

"Já estive aqui tantas vezes e já perdi tantas vezes que, honestamente, agora sou capaz de fazer uma cara de perdedora muito boa", ironizou. "Aperfeiçoei essa calma zen e inexpressiva que é preciso ter no momento em que não dizem seu nome".

Posição "sólida" nas apostas

Winslet, que já fazia sucesso em filmes de arte antes de 1997, quando "Titanic" a levou ao estrelato internacional, já recebeu dois Globos de Ouro pelo papel de alemã que tem um amante adolescente e um segredo, em "O Leitor", e de dona-de-casa americana dos anos 1950 frustrada em "Foi Apenas Um Sonho".

Ela já foi premiada também no Bafta e pelo Sindicato de Atores (SAG), e, em discursos emocionados, expressou sua surpresa com as vitórias, depois de tantas vezes no passado em que foi preterida.

Tom O'Neil, do site TheEnvelope.com, comentou: "Já passou da hora de Kate receber um Oscar. Mais uma derrota, e ela estará empatada com Deborah Kerr e Thelma Ritter, com seis indicações e nenhuma vitória. Aos 33 anos de idade, isso seria terrível."

"Kate está em posição de liderança sólida. Ela atua num filme sobre o Holocausto, fala com sotaque estrangeiro, envelhece de modo dramático e fica linda nua ¿ todos fatores chaves para uma vitória", disse ele.

Meryl Streep, 59 anos, já recebeu dois Oscar e possui um recorde próprio: com 15 indicações anteriores, é a pessoa que mais recebeu indicações ao Oscar em categorias de atuação.

Embora tenha sido premiada pelo Sindicato de Atores, em janeiro, pelo papel de freira desconfiada em "Dúvida", o último Oscar que ela levou para casa foi em 1982, por "A Escolha de Sofia".

Ela admitiu no mês passada que ser indicada para o prêmio e não recebê-lo não é fácil. Sua atuação em "Dúvida", um drama tenso sobre suspeitos abusos sexuais na Igreja Católica nos anos 1960, serviu para lembrar ao público de sua versatilidade, já que em 2008 ela também estrelou um musical cômico, "Mamma Mia".

Angelina Jolie, Melissa Leo e Anne Hathaway são vistas como apostas improváveis para o Oscar, mas Tom O'Neil observa que os eleitores da Academia frequentemente surpreendem e que qualquer coisa pode acontecer na noite da entrega das estatuetas. E, para ele, "é isso que faz a corrida ao Oscar ser tão divertida".

* Com France Presse

Leia mais sobre: Oscar 2009

    Leia tudo sobre: kate winsletoscar

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG