Oscar ignora atores e prêmios consagrados em outros festivais

Alicia García de Francisco. Redação Central, 21 fev (EFE).- A cada Oscar, há filmes, atores ou diretores que são esquecidos pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas dos Estados Unidos na hora de indicar os candidatos e, este ano, não seria diferente, em uma relação que inclui Clint Eastwood, Batman - O Cavaleiro das Trevas e Gomorra.

EFE |

O maior esquecimento do júri, talvez, tenha sido não indicar Eastwood por sua tocante atuação de um amargurado, racista e politicamente incorreto veterano da Guerra da Coreia, Walt Kowalski, em "Gran Torino", outro dos filmes "desprezados" este ano.

Hollywood deveria ter reconhecido o trabalho de Eastwood como ator, mas também como diretor de "Gran Torino" e de "A Troca", duas novas mostras do talento deste mito dos filmes de faroeste que se tornou um cineasta e um intérprete sensíveis.

Eastwood está fora das apostas, assim como muitos filmes, astros ou cineastas que sofrem com o fato de haver tabus ou tradições que a Academia não parece pronta para quebrar.

Nesse caso se situaria "Batman - O Cavaleiro das Trevas", a última aventura do homem-morcego, que recebeu oito indicações, mas só uma relevante e que ainda traz o estigma de ser uma homenagem: a de Heath Ledger como Melhor Ator Coadjuvante.

Os acadêmicos do cinema não se atreveram a colocar a produção entre os candidatos a melhor diretor (Christopher Nolan) ou filme, mesmo que mereça, mas o gênero de ação é pouco reconhecido, apesar de honrosas exceções, como as indicações de "O Fugitivo" (1993) ou "Os Caçadores da Arca Perdida" (1981).

A mesma coisa pode-se dizer de "Wall-E", que precisou se conformar com seis indicações em categorias típicas de desenhos animados e não conseguiu se estender às principais, como "A Bela e a Fera", de 1991.

Esses não são filmes tradicionalmente "oscarizáveis", o mesmo obstáculo sofrido por longas mais ou menos independentes como "O Casamento de Rachel", de Jonathan Demme; "Simplesmente Feliz", de Mike Leigh; "Fome", de Steve McQueen, ou "Rio Congelado", de Courtney Hunt.

Algumas dessas produções conseguiram indicações de peso, mas poucas: Anne Hathaway, de "O Casamento de Rachel", e Melissa Leo, de "Rio Congelado", concorrem a Melhor Atriz. Este último filme também concorre a Melhor Roteiro Original, assim como "Simplemente Feliz".

"Fome", por sua vez, apesar de ter conquistado inúmeros prêmios ao longo do ano, foi totalmente ignorado.

Todas essas produções deveriam estar mais representadas no Oscar, mas particularmente "O Casamento de Rachel", com o qual Jonathan Demme deu uma lição de cinema sem artifícios e muito longe das produções hollywoodianas que deram a fama e o Oscar ao cineasta, como "O Silêncio dos Inocentes" (1991).

O paralelo traçado é entre esse longa e "O Lutador", de Darren Aronofsky, que teve indicações de Melhor Ator (Mickey Rourke) e Melhor Atriz Coadjuvante (Marisa Tomei), apesar de "O Casamento de Rachel" ter conquistado o Leão de Ouro na última edição do Festival de Veneza.

Outro segmento pouco privilegiado no Oscar é a comédia. "Queime depois de ler", de Joel e Ethan Coen, poderia ter sido justamente indicado a Melhor Roteiro e Melhor Ator Coadjuvante (Brad Pitt), assim como "Na Mira do Chefe", com um Colin Farrell fazendo piada consigo mesmo e uma história original.

No entanto, "Foi Apenas um Sonho", de Sam Mendes, um filme que parecia ter sido feito para o Oscar, precisou se conformar com duas candidaturas técnicas e uma de Melhor Ator Coadjuvante, para Michael Shannon.

E se há uma categoria com vários esquecidos este ano é a de Melhor Filme em Língua Estrangeira, na qual não estão alguns dos filmes que mais chamaram a atenção em 2008.

Desde "Gomorra" do italiano Matteo Garrone, a "Leonera", do argentino Pablo Trapero, passando por "Il y a longtemps que je t'aime" - que, apesar de não representar a França, poderia ter dado uma indicação à excelente Kristin Scott Thomas.

Há ainda a joia do cinema "Tulpan", do cazaque Sergei Dvortsevoy, reconhecido em Cannes, mas ignorado em Hollywood.

Muitos e variados nomes que passarão a engrossar a lista interminável dos que estiveram ausentes da principal premiação do cinema mundial. EFE agf/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG