Organismo precisa de vitaminas complementares, diz especialista

De nada adianta ter uma Ferrari se a gasolina estiver adulterada: vai estragar a máquina. Para o ser humano vale a mesma lógica: é preciso usar o combustível certo para melhorar o desempenho e para ajustar o ‘motor’ - as vitaminas.

Agência Estado |

“O problema é que o corpo produz só três das 26 substâncias essenciais. O restante deve ser buscado na natureza, por meio de uma dieta variada”, alerta o geriatra Eduardo Gomes, especialista em terapia ortomolecular e diretor da rede de clínicas Anna Aslan.

Segundo o médico, a escassez de vitaminas e minerais pode provocar diversos problemas de saúde, desde anemia, fadiga, cáries e perda de concentração até uma maior suscetibilidade a infecções, arritmias cardíacas, depressão, osteoporose, hipertensão e câncer. “Muitas vitaminas precisam ser ingeridas em altas doses, como cálcio, potássio e ferro. Outras, como zinco, selênio e cobre são exigidos em porções menores”, diz Gomes. Três vitaminas clássicas, dessas que não podem faltar no organismo, são os tipos E, C, e A. “Todos temos deficiências. Só comer direito não resolve.”

Para o cardiologista e geriatra Antônio Carlos Ruffulo, a alimentação poderia nutrir bem o corpo se a pessoa mantivesse uma rotina regular e sem estresse. “É utopia”, admite. “Nós precisamos de 60 mg a 100 mg de vitamina C, mas um maço de cigarro, por exemplo, tira do corpo 500 mg. Será preciso suplementar”, diz. Antes de tomar qualquer vitamina, é preciso buscar orientação médica. Doses exageradas podem causar sangramentos e distúrbios neurológicos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

AE

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG