Opostos magnetizados baseiam nova coreografia do Grupo Corpo

SÃO PAULO ¿ De dois em dois anos, o universo da dança fica em grande expectativa para saber o que o Grupo Corpo preparou para seu repertório. Nesta quarta-feira (05), às 21h, no Teatro Alfa, em São Paulo, a companhia de Belo Horizonte apresenta sua nova coreografia, ¿ímã¿, assinada por Rodrigo Pederneiras, que pretende evidenciar os diferentes pólos humanos e a atração desses opostos.

Michel Fernandes, especial para o Último Segundo |

Divulgação

Trânsito entre ideias opostas dá origem a movimentos leves na coreografia "ímã"

O novo trabalho da companhia que, desde 1975, conquista público e crítica especializada no Brasil e exterior, partiu de uma ideia de complementaridade que dois pólos, à primeira vista distintos, dependem para sua existência. Uma crônica do antropólogo Roberto da Matta serviu à concretização do projeto.

O desejo era colocar a luz em evidência em contraposição ao universo escuro e pesado de Breu (2007), último trabalho do Grupo Corpo, com trilha original criada por Lenine, que chocou pela violência dos movimentos ao exprimir o caótico e escuro de um cotidiano marcado pela competição.

ímã pretende ser esse pólo oposto e, também, o trânsito entre as polaridades, ou seja, duas ideias opostas ¿ como luz e trevas ¿, mas interdependentes. Logo, o peso e a opção por movimentos calcados no solo, as disputas pelo mesmo espaço, vistos em Breu, são, deliberadamente, substituídos por movimentos leves, aragem após o claustro, a brincadeira entre o preenchimento do espaço cênico.

Dessa vez, a trilha é assinada pelo +2 ¿ anti-trio formado por Moreno Veloso, Domenico Lancelloti e Kassin ¿, o figurino é de Freusa Zechmeister e cenário e iluminação ficam por conta de Paulo Pederneiras, que pretende fazer da iluminação complemento para a cenografia, além de estrear a tecnologia da iluminação por LEDS no universo das artes.

Como é de praxe, a primeira parte da apresentação do Grupo Corpo traz uma coreografia de seu repertório e, para acompanhar Ímã, a escolhida foi Bach, de 1996, com musicas do compositor alemão que dá nome à coreografia, sob a releitura de Marco Antônio Guimarães.

Serviço ¿ Grupo Corpo
Teatro Alfa, São Paulo
De 5 a 16 de agosto, de quarta a domingo
Rua Bento Branco de Andrade Filho, 722
Quartas, quintas e sábados, 21h; sextas, 21h30; domingo, 18h
Ingressos: R$ 40 (setor IV), R$ 70 (setor III) e R$ 90 (setores I e II)
Informações: (11) 5693-4000
Internet: Ingresso Rápido

Leia mais sobre: Grupo Corpo

    Leia tudo sobre: dançagrupo corpo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG