Oposição volta a pedir pela votação de requerimentos na CPI da Petrobras

BRASÍLIA - O senador Álvaro Dias (PSDB-PR) apresentou nesta terça-feira um requerimento na CPI da Petrobras pedindo que os 66 requerimentos derrubados em bloco pelos governistas fossem novamente votados, mas, desta vez, de forma individual. Dias indicou ainda que pode encaminhar ao Ministério Público os pontos não tratados pela CPI.

Camila Campanerut, repórter em Brasília |

No mês passado, a base governista arquivou os pedidos mais polêmicos, entre eles, o depoimento da ex-secretária da Receita Federal na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, Lina Vieira, para falar sobre o encontro com a ministra. Outro destaque deixado de lado na CPI foi o pedido de informações sobre a prestação de contas da Fundação José Sarney, que teria recebido recursos da Petrobras.

"O líder Jucá, com muita astúcia, confere ao regimento a interpretação que lhe convém, não é verdade, esta seria matéria vencida, se não existissem regras regimentais que possibilitassem o requerimento que estou levantando. É evidente com minoria destacada aqui, com a maioria acachapante do governo, é evidente que vamos ser derrotados a cada passo, certamente seremos, mas ele é apresentado no sentido de alcançar resultado imediato, afirma Dias, que responsabiliza o relator da CPI, Romero Jucá (PMDB-RR), de torná-la chapa branca.

Jucá rebate o senador tucano alegando que o assunto já estava encerrado. "Ele [Dias] está tratando de matéria já fechada nesta comissão, quando fomos votar, eu propus que a votação fosse feita em bloco e isso ocorreu, portanto, esta é uma matéria vencida, não cabe mais nem apreciação da comissão".

Para dar um ponto final à discussão, o presidente da CPI, senador João Pedro (PT-AM), afirmou que será feita uma avaliação técnica se há ou não respaldo legal no pedido do senador Álvaro Dias.

Leia mais sobre: CPI da Petrobras

    Leia tudo sobre: cpi da petrobrasjoão pedroálvaro dias

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG