Oposição vai levar quebra de sigilos para plenário do Senado

BRASÍLIA - O líder do SDB no Senado, Arthur Virgílio (AM), disse na manhã desta terça-feira, durante a reunião da CPMI dos Cartões Corporativos, que vai levar ao plenário do Senado, onde a correlação de forças entre governo e oposição é mais equilibrada, todos os requerimentos de quebra de sigilo que não forem aprovados pela comissão. Entre eles os requerimentos que convocam a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, para depor na CPMI.

Severino Motta - Último Segundo/Santafé Idéias |

"Quebra de sigilos negados aqui, [nós] pediremos que sejam apreciados pelo plenário do Senado. Por isso não é coisa que se sepulta aqui", disse.

O líder se mostrou indignado com as informações que vazaram da Casa Civil e criaram o dossiê de gastos do ex-presidente FHC e sua esposa, Ruth Cardoso, com as contas de pagamento (tipo B). Ele alegou que seu partido solicitará que um representante da sigla acompanhe na Casa Civil a sindicância que visa identificar o responsável pelo vazamento dos dados sigilosos.

Por fim o senador criticou a falta de transparência dos dados do Tribunal de Contas da União (TCU). De acordo com ele uma portaria do órgão mostra que os gastos da presidência não são tratados como sigilosos, e que é "inaceitável" que 95% das contas fiquem protegidas.

"No Portal Transparência consta que 95% das contas são secretas. Se elas se parecem com as divulgadas [no suposto dossiê] do FHC e [da] Ruth [Cardoso] elas não me parecem secretas", disse.

Leia também:

Leia mais sobre: cartões corporativos

    Leia tudo sobre: cpi dos cartões

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG