BRASÍLIA (Reuters) - A oposição protocolou nesta terça-feira representação junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) onde pede investigação sobre suposta campanha eleitoral antecipada feita pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) durante viagem ao Nordeste na semana passada. A representação de autoria de PSDB, DEM e PPS argumenta, segundo os tucanos, que Lula fez comício em favor da sua pré-candidata nas eleições presidenciais do ano que vem.

Lula e Dilma percorreram obras federais de revitalização e transposição das águas do rio São Francisco em três Estados.

Os oposicionistas alegam que o presidente e a ministra "se aproveitaram do poder político que detêm e dos recursos públicos que gerenciam para a dispendiosa e bem montada estratégia de, desde já, lançar a ministra Dilma Rousseff com vantagem na disputa eleitoral do próximo ano".

Em outra frente, o líder do PSDB na Câmara, deputado José Aníbal (SP), também protocolou requerimento na mesa da Casa pedindo informações à ministra Dilma sobre os custos da viagem da comitiva do presidente Lula.

São 18 perguntas que vão desde o valor gasto pela União no transporte da comitiva até o cardápio oferecido a quem acompanhou Lula na viagem. Tipos e marcas de bebidas alcoólicas também são questionadas.

"O presidente da República comandou comícios, feitos do alto de palanques, com a clara e abusiva caracterização de antecipação da campanha eleitoral de 2010", diz a justificativa do requerimento que será encaminhado à Casa Civil.

Iniciadas em 2007, as obras no rio São Francisco tiveram até agora execução de cerca de 15 por cento do planejado e devem estar concluídas até 2012, segundo o Ministério da Integração Nacional.

"Tanto requinte não condiz com o ritmo lentíssimo das obras para a transposição da águas do rio São Francisco", alega o documento.

O presidente do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, defendeu nesta terça-feira uma investigação por parte da Justiça eleitoral sobre a participação do presidente Lula e da ministra Dilma na vistoria das obras.

Questionado, o ministro da Justiça, Tarso Genro, afirmou que o governo age dentro da lei.

No início do ano, a oposição já havia tentado ação semelhante, que foi rejeitada pelo TSE.

(Reportagem de Ana Paula Paiva)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.