BRASÍLIA - O DEM e o PSDB anunciaram nesta terça-feira que os partidos decidiram afastar seus representantes do Conselho de Ética do Senado. As informações foram repassadas pelos senadores José Agripino (DEM-RN) e Alvaro Dias (PSDB-PR).

Agripino afirmou que os integrantes do partido sairão do Conselho de Ética e que já tem em mãos uma proposta para reformular o Conselho. Não é debandada. É atitude de responsabilidade, argumentou.

A proposta da legenda é que o Conselho de Ética elimine os superpoderes do presidente e seja formado por um representante de cada partido, preferencialmente o líder ou alguém indicado por ele. 

Ainda dentro do novo projeto, o representante do partido escolhido não poderá ser suplente nem ter pendências criminais ou problemas com a Receita Federal.  Segundo o senador Demóstenes Torres (DEM-GO), a intenção é dar isonomia na hora da votação. Partido grande e partido nanico terão o mesmo espaço de voto, explicou. 

O projeto poderá ser levado nesta quarta-feira à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), onde já tramita um projeto de autoria do senador petista Tião Viana (AC), que pede a extinção do Conselho de Ética.

O relator do projeto de Viana, senador do DEM Antonio Carlos Magalhães Júnior (BA), que já havia sinalizado de forma contrária ao documento, deve, segundo Agripino, retardar o parecer para que os senadores do DEM possam se reunir com outros partidos para obter mais apoio à proposta.

De acordo com a última formação, a oposição tinha cinco das quinze vagas de titulares no Conselho de Ética. Elas eram ocupadas pelos senadores Demóstenes Torres (DEM-GO), Heráclito Fortes (DEM-PI), Eliseu Resende (DEM-MG), Marisa Serrano (PSDB-MS) e Sérgio Guerra (PSDB-PE).

PSDB também sai da comissão

O PSDB também formalizou sua retirada do Conselho de Ética do Senado. O senador Álvado Dias afirmou que o pedido de saída será entregue ainda nesta terça-feira à Mesa Diretora do Senado.

"A Marisa [Serrano] está responsável por colher informações e sugestões para fecharmos uma proposta de reformular o Conselho de Ética", explicou o senador.

A proposta deve ser semelhante a do DEM, mas os dois partidos ainda não se reuniram e fecharam um texto em comum acordo.

Mais cedo, o presidente nacional do partido, senador Sérgio Guerra (PE), ja havia afirmado que "o PSDB já está fora do Conselho". Além do parlamentar pernambucano, os tucanos têm outra vaga de titular, ocupada por Marisa Serrano (MS), e uma suplência exercida pelo líder da bancada na Casa, Arthur Virgílio (AM).

(com informações da Agência Estado)

Leia mais sobre: Conselho de Ética

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.