O senador ACM Júnior (DEM-BA), que participa da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), onde a ex-secretária da Receita Federal Lina Vieira vai prestar esclarecimentos sobre o suposto pedido da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, para que apressasse investigações sobre a família Sarney, trouxe por escrito uma série de questionamentos que pretende fazer à secretária.

Entre eles, se Lina comunicou ao ministro da fazenda Guido Mantega (seu superior hierárquico) o suposto pedido de Dilma e se ela aceitaria uma acareação com a ministra. Segundo o parlamentar, a apresentação de um requerimento de convocação da ministra para depor na CCJ dependerá do depoimento de Lina.

Na base aliada, o líder do PT Aloizio Mercadante (PT-SP) disse que o primeiro questionamento que fará será ao presidente da CCJ Demóstenes Torres (DEM-GO). Ele quer saber o que ocorreu na última semana que levou Demóstenes a colocar em votação o requerimento de convite à ex-secretária, quando a sessão já estava em fase final de trabalho e com poucos parlamentares presentes. Houve quebra de entendimento na CCJ. Isso aconteceu no final de sessão, fato que nunca ocorreu na comissão.

Já o líder peemedebista, Renan Calheiros (AL) afirmou que o partido não tem estratégia para o depoimento. Não tem como orientar o comportamento. Vamos colaborar para esclarecer o episódio.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.