BRASÍLIA - A oposição deve aumentar a pressão para que a ex-secretária da Receita Federal, Lina Vieira, preste depoimento no Senado. O pedido de oitiva dela foi rejeitado na semana passada na CPI da Petrobras.

Marcello Casal JR/ABr

A ex-secretária da Receita Federal, Lina Vieira

Após a entrevista ao jornal "Folha de S. Paulo", neste fim de semana, Lina Vieira disse que a ministra-chefe da Casa Civil pediu que fosse agilizado o processo de investigações sobre as empresas do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). O fato, negado pela assessoria da ministra, se configuraria como suspeita de tráfico de influência.

Para o senador José Agripino (DEM¿RN), se isso [a denúncia envolvendo a ministra] for confirmado, estará em cheque o caráter republicano deste governo, porque o governo está interferindo ou tentando interferir no sentido contrário ao interesse da coletividade.

Tanto Agripino quanto o senador tucano Sérgio Guerra (PE) defende que Lina Vieira preste esclarecimentos, seja nesta CPI ou em outra.

A ideia da oposição é de que a ex-secretária da Receita Federal fale até em outra Comissão do Senado para evitar, se for preciso, que a base aliada do governo aponte que o pedido de depoimento esteja politizando a CPI da Petrobras.

Leia também:

Leia mais sobre: CPI da Petrobras

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.