O presidente do DEM, deputado Rodrigo Maia (RJ), informou que os partidos de oposição - DEM, PSDB e PPS - pretendem apresentar requerimento de convocação do ministro da Fazenda e do ex-presidente do Banco do Brasil (BB), Antonio Francisco de Lima Neto. O objetivo, segundo ele, é que os dois deem esclarecimentos sobre as operações feitas pela instituição que motivaram a demissão de Lima Neto.

"A desculpa do spread é ridícula. Nós soubemos que houve operação irregular. Queremos saber quais foram. Isso não exime o governo federal da responsabilidade do que ocorreu no Banco do Brasil. Quem nomeia o presidente do Banco do Brasil é o presidente Lula", disse Maia.

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou hoje, durante entrevista à imprensa, que não se pode falar em "ingerência política" no BB. Ele lembrou que a União é a maior acionista da instituição. "Se o presidente pede demissão, temos que substituí-lo", afirmou. Segundo Mantega, os critérios utilizados para escolher o novo presidente foram os mesmos usados para a escolha do demissionário Lima Neto: suas aptidões. "Se houve ingerência política, foi para o bem. O Banco do Brasil teve a maior lucratividade no ano passado, expandiu o crédito e tem uma carteira robusta", afirmou.

Segundo o ministro, o novo presidente do BB, Aldemir Bendine, tem características semelhantes as de Lima Neto, uma vez que ambos são funcionários de carreira na instituição. Ele reforçou que a saída de Lima Neto encerra um ciclo de expansão do BB e que caberá a Bendine fazer do BB uma instituição mais forte e com uma presença mais marcante. "É bobagem falar em ingerência política ou partidária. As minhas escolhas, não só no Banco do Brasil, se pautaram pelo profissionalismo e capacidade de gestão. Não pergunto se a pessoa tem partido", reforçou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.