Oposição pede indiciamento de Dantas, Protógenes e Lacerda

BRASÍLIA - O PSDB e o PPS apresentaram um voto em separado nesta quinta-feira, na CPI dos Grampos, e pediram o indiciamento dos principais personagens da operação Satiagraha da Polícia Federal, o delegado Protógenes Queiroz, do ex-diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Paulo Lacerda e do banqueiro Daniel Dantas. Além deles também foi pedido o indiciamento do chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da presidência da República, general Jorge Félix. Em todos os casos, com exceção de Dantas, a acusação é de improbidade administrativa.

Severino Motta |

Para o banqueiro as acusações são de infração na Lei das Escutas Telefônicas, pela promoção de supostos grampos contra adversários empresariais. No voto, há ainda o pedido de indiciamento, por improbidade administrativa, de diversos servidores do comando da Abin.

Os deputados Gustavo Fruet (PSDB-SP) e Raul Jungmann (PPS-PE) são os principais signatários do voto. Nele, alegam que houve omissão da direção da Abin e do GSI, além de Protógenes, na operação Satiagraha, uma vez que a cooperação não foi formalizada e agentes de inteligência foram supostamente usados para fins policiais.

O pedido de indiciamento, contudo, precisa ser votado e aprovado pelos membros da comissão. Caso sejam aceitos os pedidos são incorporados ao relatório final da CPI, de autoria do deputado Nelson Pellegrino (PT-BA). Caso contrário eles seguem como voto em separado para o Ministério Público.

Se for anexado ao relatório é bom, pois é um posicionamento político da CPI. Se não eles vão para o Ministério Público, que pode ou não aceitar o pedido, disse Fruet.

Com a apresentação do voto em separado, o presidente da CPI, Marcelo Itagiba (PMDB-RJ), convocou uma nova sessão da comissão para a semana que vem. Na ocasião ele vai ler o seu próprio voto em separado, que tal como o de Fruet e Jungmann, pede o indiciamento de Lacerda, Protógenes e Dantas.

O relator, contudo, sinalizou que só vai aceitar o pedido de indiciamento de Dantas. Como o governo possui a maioria na CPI, os demais pedidos devem ser rejeitados pelos membros da comissão.

Apesar das movimentações finais da CPI, o relator Nelson Pellegrino vai abandonar, temporariamente, os trabalhos da comissão. Ele vai assumir o cargo de Secretário de Justiça da Bahia, e um relator substituto deve ser indicado.

Leia mais sobre: CPI dos Grampos

    Leia tudo sobre: cpi dos grampos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG