Oposição estuda quarta representação contra Lula

Após conseguirem vitória no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que multou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva em R$ 15 mil por campanha eleitoral antecipada, os partidos de oposição, PSDB, DEM e PPS, estudam apresentar a quarta representação este ano contra o presidente Lula por considerarem que ele faz propaganda fora de época em favor da pré-candidata Dilma Rousseff. O presidente Lula tem dado sucessivos exemplos de desobediência às leis eleitorais.

Agência Estado |

Há mais de um ano, o governo anda o País inteiro fazendo campanha ilegal, paga com dinheiro público", criticou o presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), em nota à imprensa.

Lula havia sido multado em R$ 5 mil pelo TSE, na semana passada, por ter feito, nas palavras do ministro Joelson Dias, "campanha dissimulada", em maio, durante evento de inauguração de um centro poliesportivo em Manguinhos. Na ocasião, ao ouvir os manifestantes gritando o nome de Dilma, Lula disse: "Eu espero que a profecia que diz que a voz do povo é a voz de Deus esteja correta neste momento".

Ontem, Lula ironizou a punição, dizendo para uma plateia, em Osasco, na Grande São Paulo, que também chamava o nome da ministra em coro, que levaria a conta para que eles pagassem caso fosse novamente multado. "Se eu for multado vou trazer a conta para vocês. Quem é que vai pagar a minha conta?", disse o presidente.

Ontem, a Justiça eleitoral aplicou nova multa ao presente, desta vez em R$ 10 mil, por ter dito, durante inauguração do Sindicato dos Trabalhadores em Processamento de Dados (SINDPD) de São Paulo em janeiro, que o seu sucessor já encontraria dinheiro em caixa para tocar as obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Dirigentes do SINDPD/SP anunciaram, hoje, que estão organizando uma "vaquinha" para tentar quitar a dívida do presidente.

Sérgio Guerra criticou o que considerou desrespeito por parte de Lula ao fazer piada com a multa aplicada pela Justiça. "O que o presidente fez em Osasco foi mais um ato de desrespeito, não só com o Tribunal, mas com todos os brasileiros que trabalham, pagam impostos e respeitam as leis". "O presidente brinca porque não é ele quem paga a conta. Agora, além de ser um escárnio, é uma afronta à legislação e uma forma de desdenhar os julgadores. É um desrespeito que não combina com a imagem de um Presidente da República", completou o senador Álvaro Dias (PSDB-PR).

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG