Oposição em SP discute candidatura de Mercadante

Os oito partidos que fazem oposição ao governador José Serra (PSDB) em São Paulo discutirão na próxima terça-feira, em reunião na capital paulista, o lançamento do senador Aloizio Mercadante (PT) à sucessão no Estado. A alternativa Mercadante se tornou consenso após publicação de entrevista em que o deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE), nome preferido do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para disputar o governo paulista, afirma que o PT no Estado é um desastre.

Agência Estado |

A declaração deflagrou um movimento interno na sigla para acelerar o lançamento de Mercadante ao posto de candidato. "Vamos ouvir os partidos sobre as declarações do Ciro e a posição do Mercadante", afirmou hoje o presidente do PT no Estado de São Paulo, Edinho Silva. "Todos os partidos com quem conversei entendem que o processo de cobrança do Ciro está resolvido. A entrevista foi pesada. Respeitamos o Ciro, mas entendemos que o partido tem de construir o processo em São Paulo." A coalizão é formada por PT, PSB, PDT, PCdoB, PRB, PSC, PTN e PSL.

Desde o início de março, o senador petista tem procurado arregimentar apoio à sua candidatura entre lideranças de partidos no Estado. Na semana passada, Mercadante encontrou-se com a ex-prefeita de São Paulo Marta Suplicy (PT) e com o deputado Celso Russomano (PP). Hoje pela manhã, o petista teve um encontro com o presidente estadual do PDT em São Paulo, deputado Paulo Pereira da Silva (PDT), o Paulinho.

De acordo com o pedetista, o senador está "propenso" a aceitar o posto na chapa de oposição. "Discutimos a possibilidade de ele sair candidato. Temos muita simpatia pelo Mercadante", afirmou. Paulinho disse que, mesmo em conversas reservadas, Mercadante ainda não se posiciona como candidato. "Ele disse que o nome dele é sondado para a vaga, mas não confirmou se será candidato."

O deputado federal disse que seu partido já reivindica o cargo de vice em uma chapa encabeçada por Mercadante. "Devemos discutir isso melhor na terça-feira, mas já antecipei o desejo do PDT ao senador", afirmou.

'Declaração infeliz'

O presidente estadual do PSB em São Paulo, deputado Márcio França, reconheceu que as críticas feitas por Ciro ao PT foram graves. "A declaração foi infeliz para alguém que postula um cargo nas eleições", admitiu. O parlamentar ressaltou que, caso Mercadante seja lançado ao governo de São Paulo, o PSB terá candidato próprio no Estado.

"Já deixamos clara nossa posição ao PT, há duas semanas", disse França. "Caso Ciro seja candidato, o PT e o PSB estarão juntos. Se for um outro candidato, estaremos em campanhas diferentes." De acordo com França, Ciro anunciará sua posição apenas em abril, após reunião com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva - "ainda sem data marcada", ressaltou.

O presidente estadual da legenda reiterou que o segundo nome do PSB no Estado é o do presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf. "É a nossa opção já divulgada."

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG