BRASÍLIA - A oposição diz já ter as assinaturas necessárias para que a Câmara Legislativa do Distrito Federal funcione durante o recesso parlamentar de fim de ano. Os deputados oposicionistas querem apurar as denúncias contra o governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda (DEM).

  • Arruda acelera pagamentos a servidores do DF
  • OAB-DF entra com pedido de cassação de deputados distritais



    De acordo com a líder do PT na Casa, deputada Érika Kokai, o requerimento da Câmara estabelece que são necessárias apenas oito assinaturas para que a autoconvocação seja aprovada. A Câmara é composta por 24 deputados distritais.

    Já temos estas assinaturas e, portanto, temos as condições legais para suspender o recesso. Só que o requerimento só pode ser apresentado após o recesso ser instaurado, explicou a deputada, afirmando que, se depender da oposição, a Lei Orçamentária para 2010 não será votada amanhã (15), impedindo o início do recesso legislativo.

    Achamos que precisamos de mais tempo para analisar o orçamento já que não podemos correr o risco de destinar recursos para ações desenvolvidas por empresas que aparecem no vídeo entregando pacotes de dinheiro para [integrantes] do governo do Distrito Federal. E há algumas empresas que prestam serviços a diversas secretarias e nós vamos precisar pinçá-las uma a uma.

    Leia mais sobre escândalo no DF

    • Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.