Oposição deve entrar com duas ações no Supremo contra Sarney até esta quarta-feira

BRASÍLIA ¿ Após uma reunião organizada pelo líder do PSol no Senado, José Nery (PA), na tarde desta terça-feira, pelo menos seis do grupo dos 11 senadores da oposição se dispuseram a assinar dois recursos contra o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), e levá-los ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Camila Campanerut, repórter em Brasília |

    Agência Brasil
    Nery se reúne com senadores da oposição hoje

    Nery se reúne com oposição hoje

    Segundo Nery, uma ação por descumprimento de preceito constitucional e um mandado de segurança serão encaminhados até esta quarta-feira ao STF. Tanto o mandado de segurança quanto a ação serão assinados por todos os senadores presentes e os demais interessados, afirmou Nery.

    A Ação por Descumprimento de Preceito Constitucional (ADPF) acusa o Conselho de Ética de não poder ter votado a admissibilidade das ações movidas contra Sarney, com base no artigo 55 da Constituição.  O dever do Conselho de Ética é abrir processo disciplinar para investigar denúncias, defendeu o senador pelo PSol.

    Os senadores Renato Casagrande (PSB ¿ES), Jefferson Praia (PDT-AM), Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE), Cristovam Buarque (PDT-DF), Demóstenes Torres (DEM-GO) e um representante do peemedebista Pedro Simon participaram da reunião. 

    A última derrota da oposição na tentativa de impedir o arquivamento das acusações contra Sarney ocorreu na semana passada, quando a segunda vice-presidente da Mesa Diretora, Serys Slhessarenko (PT/MT), despachou o recurso como "incabível", por não caber mais recurso ao plenário em relação às decisões tomadas pelo Conselho de Ética, com base no parecer do consultor legislativo Gilberto Guerzoni Filho.

    Leia também:

    Leia mais sobre: crise no Senado

      Leia tudo sobre: crisepsolsarneysenadosenadores

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG