Oposição critica declarações de Lula sobre mensalão

Deputados e senadores de partidos de oposição criticaram hoje as declarações do presidente Luiz Inácio Lula da Silva que disse, em entrevista a um programa de televisão que vai ao ar no domingo, que o mensalão foi uma tentativa de golpe para derrubá-lo. Lula disse ainda, conforme antecipou o jornal Folha de S.

Agência Estado |

Paulo", ter "desconfiança" que o publicitário Marcos Valério, operador do mensalão, foi plantado no PT. "Marcos Valério não vem do PT, vem de outras campanhas".

Para os oposicionistas, a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de acatar o pedido de abertura de inquérito para investigar o esquema de compra de voto de parlamentares pelo governo federal não deixa dúvidas da existência do mensalão.
"O presidente Lula está delirando. Ele está querendo reescrever a história", reagiu o líder do PSDB na Câmara, deputado José Anibal (SP). "Pode ter sido uma tentativa de golpe do José Dirceu", emendou o tucano, referindo-se ao então ministro chefe da Casa Civil, José Dirceu, apontado como um dos operadores do mensalão.

"O Lula está sofrendo de uma crise de Alzheimer político e resolveu deletar o mensalão da memória", rebateu o líder do DEM na Câmara, deputado Ronaldo Caiado (GO). "Nada é mais marcante no governo Lula do que o mensalão. Até porque todos os deputados que foram depor atestaram o esquema", disse.

Relator da CPI dos Correios, que investigou o mensalão e serviu de base para a denúncia do Ministério Público, o deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR) observou que a comissão de inquérito apenas constatou irregularidades que ocorreram no governo Lula. "Não pode ter sido uma tentativa de golpe uma vez que a apuração foi feita sobre fatos ocorridos no passado", disse Serraglio. "A oposição na época até segurou essa história do mensalão porque sabia que o Lula tinha apoio da opinião pública", afirmou.

Para o senador Romeu Tuma (PTB-SP), o presidente Lula pode até não ter tido conhecimento do mensalão. "Agora que ele existiu, existiu. Tanto é assim que o Ministério Público ofereceu uma denúncia, que o Judiciário aceitou", observou.

Na opinião do líder do PT na Câmara, deputado Cândido Vaccarezza (SP), a denúncia de existência do mensalão "tem um erro de origem", uma vez que os denunciados são deputados do PT e presidentes de partidos políticos. "O governo não precisaria comprar voto de deputado do PT. Não faz sentido isso. Não houve mensalão", disse o petista, ao observar que nunca conversou sobre esses assuntos com o presidente Lula.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG