Oposição critica decisão de Lula sobre Battisti no último dia

Para Azeredo, anúncio na véspera do fim do mandato foi um "ato melancólico" do presidente, que denotou seu medo em tomar decisão

Danilo Fariello, iG Brasília |

A oposição apresentou severas críticas à decisão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre a permanência de Cesare Battisti no país, principalmente porque ela foi tomada neste último dia de mandato.

Para o senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG) foi um "ato melancólico”. O senador avalia o fato de o anúncio ter sido feito no último dia de governo como uma demonstração de que Lula teve medo de tomar a decisão antes, por conta das críticas a ela.

Para o deputado federal Gustavo Fruet (PSDB-PR), a decisão do presidente também pode criar novo atrito entre governo e Supremo Tribunal Federal (STF), que havia decidido, por 5 votos a 4, pela extradição de Battisti. Contudo, a corte facultou ao presidente a palavra final sobre o tema. “Segue essa disputa sobre quem tem mais poder no país, se o Executvo ou o STF”, comenta .

Fruet também vê a decisão como negativa porque Lula deixa para o governo de Dilma Rousseff um conflito externo para ser administrado, especificamente com o governo italiano. “É emblemático ele ter deixado para o último dia de governo a decisão, quando qualquer questionamento vai se perder entre os eventos da posse.”

Azeredo diz que não se tratava de uma questão de Direitos Humanos, porque Battisti seria extraditado para um país democrático e não correria o risco, por exemplo, de ser torturado. "O governo desrespeitou a Itália, que tem um regime democrátic,o e os nossos tratados de extradição"

    Leia tudo sobre: stfbattistiextradiçãoitálialulafruetazeredo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG