Oposição acusa governo de usar PAC para enganar eleitores e eleger Dilma presidente

BRASÍLIA - O líder do DEM na Câmara, deputado Ronaldo Caiado (DEM-GO), criticou nesta quinta-feira o balanço de dois anos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), anunciado nesta quarta-feira pelo governo. Para Caiado, o presidente Lula anuncia números ¿absurdos¿, na tentativa de fortalecer a candidatura da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, à presidência da República em 2010.

Severino Motta - Último Segundo/Santafé Idéias |

Segundo o governo anunciou na quarta-feira, o PAC receberá um reforço de R$ 646 bilhões até 2010. A partir de 2011, serão mais R$ 500 bilhões para as obras do programa. Porém, no acumulado de 2007 e 2008 houve um empenho acumulado de R$ 33 bilhões, dos quais apenas R$ 18,7 bilhões foram executados.

Ele [o governo] pagou R$ 18 bilhões em dois anos e disse que vai chegar a R$ 646 bilhões nos próximos oito anos. Qualquer pessoa de intelectualidade mediana percebe que isso é absurdo, acusou Caiado. O governo apresentou um factóide. Um plano virtual. Fez uma maldade com o cidadão que está fragilizado, com medo de perder o emprego. 

Segundo o líder do DEM, quando o governo diz que investirá mais R$ 500 bilhões no programa depois de 2010, quer passar à população a idéia de que isso só será possível se uma candidata petista for eleita. 

O governo disse que depois de 2010 vai ter mais 500 bilhões [para o Pac]. O presidente, ao invés de ser um estadista, só está pensando em 2010. É como se dissesse: eleja minha candidata que vai ter mais 500 bilhões, disse.

    Leia tudo sobre: pac

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG