Óperas do Met de Nova York chegam aos cinemas do Brasil

SÃO PAULO ¿ As prestigiadas temporadas da Metropolitan Opera, a Met de Nova York, vão a partir deste final de semana poder ser assistidas em primeira mão no Brasil. Nâo se trata, no entanto, de versões para rádio ou DVD: os espetáculos estarão disponíveis para os amantes do gênero e curiosos nas salas de cinema, legendados, com alta definição, em formato digital.

Redação |

O projeto já acontece há três anos e é exibido em mais de 800 salas do mundo. O Brasil, assim como a Argentina, acaba de entrar neste grupo. A primeira experiência será realizada neste domingo, no Rio de Janeiro, com "La Rondine", de Giacomo Puccini, interpretada pela famosa dupla Angela Gheorghiu e Roberto Alagna.

Fábio Lima, diretor-executivo da MovieMobz, distribuidora do projeto no País, conta que o cineasta Fernando Meirelles influenciou a exibição dos espetáculos no Brasil. Amigo de Peter Gelb, diretor da Met Opera, Meirelles indicou a MovieMobz para entrar no projeto e ainda vai projetar as óperas nas salas que sua produtora, a O2 Filmes, administra em São Paulo (HSBC Belas Artes).

O principal empecilho em introduzir a novidade, segundo Lima, é o disputado circuito exibidor, já que o projeto entra na grade de programação nos sábados ou domingos, à tarde. O objetivo é acostumar o expectador, uma vez que a ideia no futuro é exibir as óperas ao vivo, direto do Metropolitan Opera House, um dos maiores e melhores teatros operísticos do mundo.

A sessão de estreia, no Cine Oden, às 17h, já mostra o reflexo do projeto ser exibido apenas uma vez, em um horário nobre para as salas comerciais: os ingressos custam R$ 25. "É difícil negociar com o exibidor, porque é nesse período que os cinemas estão mais cheios. Além disso, as óperas têm uma relação contratual diferente, não ficam em cartaz, e até por conta dos direitos autorais dos intérpretes e da própria ópera."

Conforme Lima, a tendência é que quando os espetáculos começarem a ser exibidos ao vivo, potencialmente em outubro, os preços aumentem ainda mais. Isso porque haverá um sinal de satélite exclusivo para o Brasil, com legendas em português, o que encarece os custos, assim como a oscilação do dólar. Ao vivo, em Nova York, o preço dos ingressos varia de 15 a 375 dólares.

Na opinião do diretor da MobieMobz, o preço é recompensado pela alta qualidade de som e imagem em alta definição. "Vai surpreender", garante. Para Lima, o projeto tem tudo para ser sucesso, como foi nos outros países. "Existe um público a ser trabalhado e descoberto. O efeito das pessoas que vão estar em contato pela primeira vez com uma ópera, com esse nível de qualidade e facilidade de acesso, deve ser fantástico", afirma, otimista.

Ainda no programa do Met Opera, que se estende até maio, estão "Orfeu e Eurídice", "Madade Butterfly" e "La Cenerentola", entre outras produções. Depois da capital carioca, no dia 15 de fevereiro o projeto chega a São Paulo, Belo Horizonte, Brasília, Porto Alegre e Curitiba. Após o carnaval, outras cidades passam a integrar a lista.

Leia mais sobre: ópera

    Leia tudo sobre: música clássicaópera

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG