Dois operários foram assassinados durante um assalto na noite desta quarta-feira, 27, na altura do km 17 da Rodovia dos Imigrantes, em Diadema, na Grande São Paulo. Uma terceira vítima fingiu estar morta para escapar do criminoso.

Segundo a Polícia Civil, o principal suspeito do crime é o foragido Rafael Augusto Nascimento, de 19 anos, conhecido como "Rafinha", que tem o nome envolvido em crimes como homicídio, latrocínio, roubo e receptação.

A Justiça de Diadema já expediu um mandado de prisão no nome de Nascimento, referente a um assassinato cometido na cidade, registrado no 2º Distrito Policial. O delegado do 3º DP, Wagner Camargo Gouveia - responsável pelo registro do latrocínio na Rodovia dos Imigrantes - afirmou que Rafinha é também o principal suspeito do assassinato de um policial civil no Jabaquara, na zona sul da capital.

As três vítimas desta quarta-feira saíram de uma empresa de injeção plástica onde trabalham juntas na região do bairro Serraria, em Diadema, por volta das 22 horas. Elas costumam fazer o mesmo trajeto diariamente, de bicicleta. Para chegar ao bairro à Vila Nogueira, onde moram, os operários têm de atravessar a Rodovia dos Imigrantes. Assim que fizeram a travessia, cerca de 20 minutos depois de saírem da empresa, as vítimas foram surpreendidas pelo assaltante, que estava escondido atrás de uma árvore.

O operário de 31 anos que sobreviveu ao crime garantiu que nenhum deles reagiu. "Ele (o criminoso) atirou primeiro em um e depois em outro. Daí, ele atirou na minha direção. Consegui desviar do tiro e caí, daí fiquei caído me fingindo de morto. Depois disso, ele ainda atirou nos meus dois amigos, que já estavam caídos no chão, de novo", relatou. "Eu fechei os olhos e pedi a Deus para não morrer". Em seguida, o bandido fugiu.

A bolsa que continha a carteira do operário, com R$ 10 e cópias de documentos, foi roubada pelo assassino. A polícia ainda não sabe ao certo quais os objetos que foram levados das outras duas vítimas. Carlos de Sá Teles Machado, de 35 anos, foi atingido no pescoço e na perna e morreu no local. Já Edvaldo José da Mata Nascimento, 33, baleado na cabeça, chegou a ser levado ao hospital Serraria, mas não resistiu ao ferimento. Eles estavam a menos de dez minutos de casa.

As características físicas do assassino descritas pelo sobrevivente do crime batem com as de Rafinha. Além disso, a frieza e o fato de atirar sem que a vítima esboçasse nenhuma reação fazem com que a polícia ligue este crime a outros cometidos na cidade, atribuídos ao procurado. "Ele (Rafinha) não se preocupa em como se comporta a vítima", explicou o delegado.

Socorro

Uma equipe da 3ª Companhia do 45º Batalhão da Polícia Militar havia saído para verificar um possível roubo a uma padaria na Vila Nogueira, que não foi constatado, quando foi surpreendida pelo operário sobrevivente, quando passava pela Avenida Prudente de Morais. "Ele (a vítima) saiu de lá de cima pedindo socorro, avisando dos amigos baleados", contou o sargento Antônio da Rosa Moreira.
Ainda de acordo com o sargento, preocupada com a demora do marido, a esposa de Machado tentou contatá-lo diversas vezes pelo celular. Como não obteve resposta, resolveu fazer o percurso que ele faz diariamente, com a filha do casal de 6 meses nos braços, quando encontrou o marido morto. Nascimento, a outra vítima, tinha quatro filhos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.