Operários protestam contra militares em favela do Rio

Os 750 operários do Projeto Cimento Social, liderado pelo Exército no Morro da Providência, na área central do Rio de Janeiro, paralisaram hoje os trabalhos na favela em protesto contra a presença da Força na comunidade. O comércio fechou em algumas ruas e o atendimento no Hospital dos Servidores do Estado foi suspenso.

Agência Estado |

Ontem, os corpos de três jovens foram encontrados em um lixão e 11 soldados do Exército são suspeitos de ligação com as mortes.

Os militares teriam entregue os adolescentes a uma facção criminosa do Morro da Mineira, que teria executado os rapazes. Os 11 militares suspeitos de envolvimento no caso estão presos por dez dias no 1º Batalhão de Polícia do Exército, na Tijuca, zona norte da capital fluminense. Todos foram indiciados por homicídio pela 4º Delegacia de Polícia (DP).

Este é o momento mais tenso desde que o Exército ocupou o Morro da Providência em dezembro do ano passado para a reforma das fachadas das casas, previstas no projeto Cimento Social, obra com recursos do Ministério das Cidades.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG