O delegado Ruy Ferraz Fontes, do Departamento de Investigações sobre Crime Organizado (Deic), concluiu hoje o inquérito da Operação Spy 2. A ação, efetuada há uma semana em São Paulo, teve como alvo um esquema clandestino de escuta telefônicas.

Entre os envolvidos estão policiais, detetives particulares e funcionários de empresas de telefonia e de bancos. Ao todo, 16 pessoas acabaram indiciadas por formação de quadrilha e quebra ilegal de sigilo fiscal, bancário e telefônico.

Foram indiciados Selma Giachetti, Simone Sampaio dos Santos, Marcos Palace Chagas, Daniel Aparecido da Silva Ramos, César Barbosa Costa, Flavia Priscila de Paula, Aline Aparecida Cerqueira de Moura, Elisângela Novais da Silva, Marisa Angeles Bekeredjian, Carlos Eduardo de Oliveira Loma, José César Hanna, Flavio Jacinto de Moraes, Rosimeire da Silva Scrittore, Roger Tabor Ignácio, Marcelo Cacavallo e Domingos Esteves Júnior. A Secretaria de Segurança Pública (SSP) não soube informar se as dez pessoas detidas na semana passada permanecem presas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.