Desde 2008, grupo teria desbloqueado cerca de 5 mil documentos

selo

Nove pessoas foram presas em São Paulo e no sul de Minas Gerais nesta terça-feira, durante a operação Cartas Marcadas, acusadas de fraudar a renovação de carteiras nacionais de habilitação (CNHs). Desde 2008, o grupo teria desbloqueado cerca de 5 mil documentos.

A operação, desencadeada pela Polícia Rodoviária Federal em conjunto com o Ministério Público de São Paulo, visa cumprir 24 mandados, de prisão e de busca e apreensão, contra integrantes de um esquema que fraudava as CNHs. O desbloqueio era feito na Corregedoria do Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran), ao preço médio de R$ 3 mil por habilitação.

Além das prisões, já foram cumpridos 15 mandados de busca e apreensão, em residências, centros de formação de condutores e escritórios de advocacia, com a apreensão de computadores, documentos - principalmente CNHs falsificadas - e duas armas.

Entre os alvos da operação estão servidores públicos, agenciadores e donos de auto-escolas. Os mandados cobrem pontos no centro da capital paulista, na Grande São Paulo e no sul de Minas Gerais.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal, a operação Cartas Marcadas é uma continuação da Operação Carta Branca, realizada em 2008, quando foi desmantelada uma quadrilha especializada na fraude em renovação e desbloqueio das CNHs falsificadas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.