Publicidade
Publicidade - Super banner
Brasil
enhanced by Google
 

Operação Parasitas derruba diretor de hospital de São Paulo

SÃO PAULO - O secretário da Saúde de São Paulo, Luiz Roberto Barradas Barata, determinou o afastamento preventivo do cardiologista Leopoldo Soares Piegas da direção técnica do departamento de saúde do Instituto Dante Pazzanese.

Agência Estado |

"Considerando as notícias veiculadas na imprensa, que assinalam supostas irregularidades no Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia, apontando para um eventual envolvimento da direção da unidade, determino, no uso de minhas atribuições, o afastamento preventivo". Assim Barradas fez publicar no Diário Oficial o despacho nº 8886/08.

Piegas é o primeiro diretor de um grande hospital público de São Paulo afastado por causa das investigações da Operação Parasitas. Deflagrada em 30 de outubro pela Polícia Civil de São Paulo, a operação apura fraudes em centenas de licitações para a compra de remédios e material em 21 hospitais públicos paulistas e em 29 prefeituras de quatro Estados. O médico foi procurado em sua casa e na Fundação Adib Jatene, mas a informação dada por colegas foi de que ele estaria em um congresso nos Estados Unidos.

O afastamento para apurar as supostas irregularidades deve ocorrer, segundo o despacho do secretário, sem prejuízo dos vencimentos e durar 60 dias. Além dele, também deixou a direção do hospital Alexandre Bonfim Faria Santos, diretor administrativo do hospital. Ele também não foi encontrado. Apesar do despacho, a assessoria de imprensa da Secretaria de Saúde negou que a saída dos dois tenha relação com a operação.

A suspeita investigada pelos policiais e pelos promotores do Grupo de Atuação Especial e Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público Estadual é de que diretores do hospital transferiram insumos para os depósitos de uma empresa gestora contratada pelo Estado para administrar a logística dos hospitais públicos, o que é proibido por lei. A alegação foi a de que o almoxarifado do hospital estava cheio e não comportava a entrada de novos materiais. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Leia mais sobre: Operação Parasitas

Leia também

Leia tudo sobre: operação parasita

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG