Operação na Mangueira deixa 4 mortos no Rio

Uma operação da Delegacia de Combate às Drogas (Dcod) e da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) da Polícia Civil do Rio matou quatro pessoas acusadas de serem traficantes e prendeu outros três, ontem de manhã, no Morro da Mangueira, na zona norte do Rio.

Agência Estado |

Segundo a polícia, entre os mortos está o chefe do tráfico local, Bruno Rogério Tavares, o Bruninho, que seria ligado a Alexander Mendes da Silva, o Polegar, que está preso.

Além das mortes e das prisões, foram apreendidos um catálogo de armas e munições, dois fuzis, uma metralhadora .30, uma metralhadora Madsen antiaérea, três granadas, três pistolas, 2 mil papelotes de cocaína e 150 quilos de maconha. Também foram recuperados cinco carros e duas motos roubadas.

A operação começou por volta das 10 horas, com a participação de cerca de 80 homens de três delegacias especializadas, e tinha como objetivo prender traficantes, apreender drogas e coibir o roubo de carros na região da Mangueira. Os policiais levavam 30 mandados de prisão, busca e apreensão para cumprir.

De acordo com a polícia, traficantes estariam praticando arrastões nas proximidades da favela. Segundo a polícia, o chefe do tráfico conhecido como Bruninho foi preso na localidade da favela conhecida como Buraco Quente. Ele estava ferido e tentava sair da favela para ser atendido num hospital. Ele foi levado pelos policiais para o Hospital Souza Aguiar, mas teria morrido no caminho.

    Leia tudo sobre: operação

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG