A Polícia Militar informou há pouco que 266 pessoas foram abordadas durante as blitze feitas entre as 22 horas desta sexta-feira e as 5 horas da manhã de hoje, durante os trabalhos da Operação lei Seca, em vários pontos da capital paulista. Nos testes, 51 pessoas apresentaram algum tipo de irregularidade e foram autuadas de acordo com o Código Brasileiro de Trânsito.

Duas, que apresentaram nível superior a 0,3 mg de álcool por litro de sangue, foram encaminhadas à delegacia e responderão criminalmente. Na madrugada deste sábado para domingo a PM dará continuidade à operação.

Todos os motoristas autuados por embriaguez, com nível de álcool acima de 0,09 mg, foram abordados na zona leste da capital. Na zona sul, não houve flagrante acima deste nível nos motoristas parados pela fiscalização. As delegacias de Vila Diva (29ºDP) e de Vila Rica (41ºDP), ambas na zona leste, foram as que receberam as ocorrências. A polícia montou cinco pontos de bloqueios, sendo três na zona leste e dois na zona sul. São eles: esquina da Avenida Amador Bueno da Veiga com a Avenida São Miguel, na Penha; cruzamento entre as avenidas Rio das Pedras e Aricanduva, em São Mateus; Avenida Paes de Barros, na Mooca (zona leste); e avenidas Adolfo Pinheiro, em Santo Amaro, e Vereador José Diniz, no Campo Belo (zona sul).

Pela nova lei, quem for pego pelo bafômetro com uma margem entre 0,0 e 0,09 mg de álcool/litro de ar expelido, não é considerado infrator e acaba liberado. De 0,1 a 0,29 mg, paga-se uma multa de R$ 957,20 e há o risco de a carteira de habilitação ser suspensa por período de 12 a 24 meses. Acima de 0,3 mg, além de pagar a multa e correr o risco de perder a habilitação, o infrator é levado para a delegacia, responde criminalmente, podendo pegar uma pena que varia de 6 meses a 3 anos de detenção. O infrator só é liberado, para responder em liberdade, após pagar uma fiança de R$ 300 a R$ 1.200.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.