Uma operação que reuniu policiais civis e fiscais de saúde para apurar denúncias e irregularidades em farmácias e drogarias no interior de São Paulo apreendeu mais de 2,7 mil caixas de remédios falsificados. Dos 12 estabelecimentos inspecionados nas cidades de Bauru, Jaú, Barra Bonita, Cafelândia, Lins e Avaré, sete foram interditados.

Entre os principais remédios irregulares apreendidos pela operação, chamada de Tarja Preta e iniciada no dia 16 de março, estão psicotrópicos (controlados, sem autorização) e remédios para disfunção erétil (falsificados). Foram presas 16 pessoas: três em Jaú, quatro em Bauru, uma em Cafelândia, duas em Lins e seis em Avaré.

Na embalagem é possível encontrar uma raspadinha, na hora em que você raspa a caixa é possível encontrar a marca do laboratório. Outra forma de identificar o medicamento original é verificar se na caixa do remédio está o registro da Anvisa, ensina Raquel Rizzi, presidente do Conselho Regional de Farmácia do Estado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.