Operação da Polícia na favela de Lagoinha deixa 10 mortos e 5 feridos

RIO DE JANEIRO -Dez pessoas morreram, cinco ficaram feridas e outros cinco traficantes foram presos durante uma operação para apreensão de carga na favela da Lagoinha, na Baixada Fluminense. Segundo a assessoria de imprensa da Polícia Civil, um agente da Core (Coordenadoria de Recursos Especiais) foi baleado.

Redação |

A assessoria afirmou também que durante a operação foram apreendidas armas e drogas. A quantidade não foi revelada.

As vítimas foram levadas para o Hospital de Duque de Caxias, mas já teriam chegado mortas ao local. De acordo com a direção do hospital, parentes e amigos das vítimas na favela da Lagoinha foram à unidade em busca de informações. Houve tumulto e confusão com policiais que usaram gás de pimenta para dispersar os manifestantes.

A Delegacia de Repressão a Roubos e Furtos de Cargas (DRFC) informou que um policial civil teve fratura no fêmur e foi encaminhado de helicóptero para o Hospital Miguel Couto, no Leblon, Zona Sul do Rio.

A Core (Coordenadoria de Recursos Especiais) foi até o local dar apoio à equipe da Delegacia de Repressão a Roubos e Furtos de Cargas (DRFC). Além da Core, policiais do 15º BPM (Caxias) e um helicóptero participaram da ação.

Dados

Levantamento divulgado na última semana de julho pelo Instituto de Segurança Pública (ISP), da Secretaria de Segurança do Estado, mostrou que, entre janeiro e maio deste ano a polícia fluminense matou 649 pessoas em supostos confrontos - os chamados autos de resistência. Esse número é 47,16% maior que o número de mortos nos cinco primeiros meses de 2006, último ano do governo Rosinha Garotinho (PMDB).

Em 2007, primeiro ano do governo Sérgio Cabral (PMDB), foram 586 mortos - 10,75% menos que no mesmo período deste ano.

*Com informações da Agência Estado e Reuters

Leia mais sobre: violência no Rio

    Leia tudo sobre: policia civilpolícia federalrio

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG