Operação da PF combate comércio ilegal de anfetaminas

Principais alvos são proprietários de farmácias de manipulação no leste de Minas Gerais e no interior do Espírito Santo

AE |

selo

A Polícia Federal deflagrou hoje a Operação Efeito Colateral, com o objetivo de reprimir o comércio ilegal de anfetaminas, geralmente utilizadas em processos de emagrecimento. Estão sendo cumpridos sete mandados de prisão temporária e 15 mandados de busca e apreensão nas cidades mineiras de Resplendor, Conselheiro Pena e Cuparaque. A ação também ocorre no Espírito Santo, nas cidades de Nova Venécia, Ecoporanga, Barra de São Francisco e Baixo Gandu. A PF ainda não divulgou o número de presos.

Segundo a polícia, a operação começou em outubro do ano passado, tendo como principais alvos proprietários de farmácias de manipulação no leste de Minas Gerais e no interior do Espírito Santo. As investigações começaram a partir do intercâmbio de informações entre a Polícia Federal Brasileira e o Drug Enforcement Administration (DEA), a agência de drogas dos Estados Unidos.

Os empresários, segundo a PF, utilizavam-se de brasileiros residentes em diversas cidades norte-americanas para remeterem, especialmente via correios, medicamentos como femproporex, amfepramona e fluoxetina. Durante os meses de investigação, foram apreendidas 605 fórmulas de medicamentos, o que resultou em aproximadamente 43 kg, sendo que dez pessoas foram presas, tanto no Brasil, quanto nos Estados Unidos.

Parte das apreensões ocorreu com o auxílio da Gerência de Segurança Operacional dos Correios em Belo Horizonte que, sob orientação dos policiais, passou a verificar de maneira mais pormenorizada as encomendas internacionais. Os remetentes, a fim de dificultar a identificação das drogas, utilizavam-se de papel carbono, balas, bombons, dentre outros materiais.

    Leia tudo sobre: anfetaminacrime

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG