RIO DE JANEIRO ¿ Foram descobertas na tarde desta quinta-feira duas ligações irregulares para fornecimento de água no Rio de Janeiro: a primeira foi em uma fábrica de quentinhas e a outra, em uma oficina de barcos. Estão envolvidos na operação ¿Gato Gordo¿ técnicos da Assessoria de Segurança Empresarial da Nova Cedae, além de agentes da Delegacia de Defesa dos Serviços Delegados (DDSD).

Acordo Ortográfico

Na fábrica JPF Alimentação Ltda, localizada em Bonsucesso, subúrbio do Rio, foi encontrada uma ligação de três quartos de diâmetro de polegada antes do hidrômetro, que a abastecia ilegalmente. A indústria, onde trabalham cerca de 40 funcionários, fornecia diariamente mil refeições para hospitais, empresas e laboratórios.

O segundo flagrante de irregularidade foi na Associação de Empresas Marina do Governador. Foi verificado que o abastecimento era realizado por uma ligação clandestina de três quartos de polegada. A água do local estava suspensa desde 2002 e o hidrômetro havia sido retirado da oficina na mesma data. A empresa possui cerca de 90 funcionários.

A operação Gato Gordo foi criada para combater irregularidades em grandes estabelecimentos comerciais como fábricas e oficinas, por exemplo. Devemos ficar atentos com esses setores que utilizam grandes volumes de água, pois, além de causarem prejuízos financeiros, podem prejudicar seriamente o abastecimento de água na região em que funcionam, disse Wagner Victer, presidente da Cedae.

Os donos de ambas as empresas terão de se apresentar ao DDSD para prestar esclarecimentos.

Leia mais sobre: "gato" de água

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.