Operação contra o tráfico deixa 3 mortos na Rocinha

RIO (Reuters) - A polícia deflagrou nesta quarta-feira uma operação na favela da Rocinha, na zona sul do Rio de Janeiro, em uma reação à tentativa de traficantes do local de invadir a favela Ladeira dos Tabajaras, que resultou em confrontos com policiais e mortes. Segundo a polícia, três suspeitos morreram no tiroteio na Rocinha. Os policiais também estouraram laboratórios para refino de cocaína e apreenderam 1 tonelada de maconha e dois fuzis. A droga foi içada por um helicóptero da polícia.

Reuters |

"Qualquer ação criminosa que visa desmobilizar a polícia, causar pânico à sociedade vai ter uma resposta imediata", disse o delegado que chefiou a operação, Ronaldo Oliveira.

A ação policial, que mobilizou 250 homens, tem como objetivo enfraquecer a quadrilha e prender os traficantes que tentaram invadir no último fim de semana a favela Ladeira dos Tabajaras, em Copacabana, para tomar os pontos-de-venda de drogas no local.

A operação na Rocinha começou no início da manhã da quarta e também mobilizou helicópteros e veículos blindados. Os policiais foram recebidos a tiros, segundo a polícia, e os confrontos ocorreram em diversos pontos da favela. Com medo do tiroteio, comércio e escolas fecharam as portas.

"Não vamos recuar e vamos fazer quantas operações forem necessárias", disse o delegado. "A Rocinha sempre foi um ponto forte de venda de drogas dada a sua posição geográfica. O movimento é grande, e a facção que está aqui sempre tenta se expandir", acrescentou o delegado

A tentativa de invasão da Ladeira dos Tabajaras resultou na morte de 5 supostos traficantes, 20 prisões e apreensão de armas e drogas. O confronto intenso entre policiais militares e traficantes estendeu pânico por quatro bairros da zona sul (Copacabana, Lagoa, Humaitá e Jardim Botânico), área nobre da capital.

A PM permanece no local por tempo indeterminado e realiza buscas na mata que cobre a favela à procura de traficantes que teriam fugido.

(Por Rodrigo Viga Gaier)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG