Operação contra madeira ilegal prende 5 policiais no MS

Cinco agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) da delegacia de Paranaíba (MS), foram presos hoje por policiais da própria corporação por suspeita de envolvimento com uma quadrilha especializada em crimes ambientais e contrabando. A ação é parte da Operação Diamante Negro, executada de forma conjunta pela Polícia Federal e a Polícia Rodoviária Federal.

Agência Estado |

Estão sendo cumpridos 35 mandados de prisão e 60 de busca e apreensão em quatro Estados (Mato Grosso do Sul, Maranhão, Minas Gerais e São Paulo).

Foram presos os policiais rodoviários Ives Quirino Diniz, Carmelito Pereira do Nascimento, Marco Antônio Rodrigues de Miranda, Sidenilto Correia de Paula e Wanderlilton da Silva Araujo. Eles serão indiciados por formação de quadrilha, corrupção passiva, facilitação de contrabando e descaminho, prevaricação, concussão e peculato. Outros oito policiais rodoviários também serão indiciados pelos mesmos crimes. Há cerca de um ano, a corregedoria da PRF recebeu denúncias de que policiais da 9ª Delegacia, em Paranaíba, na divisa do Mato Grosso do Sul com São Paulo, Minas Gerais e Goiás, estariam envolvidos em atos de corrupção. A investigação interna da PRF revelou que o esquema era muito maior e envolvia, além dos policiais rodoviários, outros servidores públicos federais e estaduais, além de empresários.

De acordo com a investigação preliminar da PRF, os policiais facilitavam a passagem de caminhões carregados com carvão, resultado da extração ilegal de madeira nativa da região. O carvão abastecia siderúrgicas de Minas Gerais e São Paulo. Além do crime ambiental, os veículos circulavam com excesso de peso. A partir dos indícios, a PRF acionou o Ministério Público Estadual e a Polícia Federal. O desdobramento da investigação conjunta é a Operação Diamante Negro, desencadeada hoje.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG