Receita apreende mais de R$ 2 milhões em mercadorias contrabandeadas" / Receita apreende mais de R$ 2 milhões em mercadorias contrabandeadas" /

Operação combate contrabando num dos maiores centros de comércio popular do país

SÃO PAULO - Depois de dez dias de ações conjuntas de combate ao contrabando em dezenas de pontos do interior e litoral do estado de São Paulo, a Operação Anúbis chegou, na manhã desta quinta-feira, à região da Rua 25 de Março, um dos maiores centros de comércio popular do país. http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2008/09/16/receita_apreende_r_2_milhoes_em_mercadorias_contrabandeadas_e_pirateadas_em_sp_1854940.htmlReceita apreende mais de R$ 2 milhões em mercadorias contrabandeadas

Redação com Agência Brasil |

AE
Contrabando
Policiais levam mercadoria na 25 de Março
Cerca de 500 agentes públicos da Receita Federal, Secretaria da Fazenda do Estado e das Polícias Federal e Militar cumpriram 98 mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça Federal no Shopping 25, localizado entre as Ruas Florêncio de Abreu e 25 de Março.

De acordo com o auditor fiscal da Receita, Vitor Casimiro, até às 12h, cerca de 500 caixas com mercadorias foram retidas nesta quinta-feira, totalizando dois caminhões de carga.

"Todas as caixas foram identificadas com os nomes dos lojistas. Eles terão o prazo de 5 dias para comprovarem que a importação da mercadoria foi regular. Após esse prazo, se não compravada a reguladade da mercadoria, é dada a perda do material e ele passa a ser propriedade do Estado", ressaltou.

Segundo Casimiro, a operação pode ser considerada um trabalho de proteção ao comércio e à saúde do consumidor. "Quando julgamos que a mercadoria recolhida é um produto impróprio para o consumo, o Estado opta pela destruição desse material. Quando se trata de uma mercadoria regular, ela é destinada para os leilões".

Durante toda a operação, policiais e auditores da Receita têm permissão para apreender todas as mercadorias que não tiverem notas fiscais ou cuja importação regular não fique comprovada. Pela decisão da Justiça, há também respaldo para retenção de equipamentos de informática e documentação fiscal encontrada no local.

A operação conta com o apoio logístico e cobertura de um helicóptero da Receita Federal, equipado para ações de combate ao contrabando, ao descaminho e à pirataria.

Conforme balanço parcial da Operação Anúbis, 19 pessoas foram presas, sendo dois estrangeiros irregulares no país. Além disso, foram apreendidas até agora mercadorias avaliadas em R$ 19,4 milhões, 27 veículos usados no transporte das mercadorias, 3 quilos de cocaína e 9 quilos de maconha. A ação também incluiu abordagens e vistorias físicas e de documentos de mais de 1,8 mil veículos.

O nome Anúbis se refere a uma divindade egípcia que fazia julgamento dos mortos. Para os policiais, o nome tem ligação com o submundo das mercadorias irregulares que entram no país.

Leia mais sobre: Operação Anúbis

    Leia tudo sobre: operação

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG