A Organização das Nações Unidas (ONU) vai conduzir sua própria investigação sobre as mensagens de correio eletrônico vazadas de um centro britânico de pesquisas climáticas, informou hoje Rajendra Pachauri, presidente do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC, na sigla em inglês). Mensagens de e-mail roubadas da unidade de pesquisas climáticas da Universidade de East Anglia sugeriam que renomados cientistas estariam discutindo meios de esconder informações do público e suprimir trabalhos alheios.

O roubo dos e-mails e sua divulgação na internet, ocorridos semanas antes do início de uma cúpula global patrocinada pela ONU para discutir um novo pacto climático, transformaram-se em uma disputa política explosiva.

Pesquisadores observam que as mensagens não se referem propriamente aos princípios do aquecimento global. Mas ativistas contrários à afirmação de que a ação humana provoca mudanças climáticas se apropriaram das correspondências para acusar os cientistas envolvidos de conspirarem para esconder evidências referentes ao aquecimento.

Numa entrevista concedida à rádio britânica BBC, Pachauri qualificou a situação como grave e informou que o caso será investigado "em detalhes" pelo IPCC. "Nós certamente investigaremos a fundo e assumiremos uma posição sobre isso", disse. "Nós definitivamente não empurraremos a sujeita para debaixo do tapete", prosseguiu.

A Universidade de East Anglia defende a integridade dos dados científicos publicados por sua unidade de estudos climáticos e por seus pesquisadores. Ontem, porém, a instituição anunciou que investigaria eventuais ocultações de dados. Phil Jones, diretor da unidade, afastou-se do cargo no início da semana até a conclusão da investigação.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.