ONU pede ampliação de programas sociais do Brasil

SÃO PAULO - Os programas adotados no governo de Luiz Inácio Lula da Silva ainda não são suficientes para lidar com problemas de desigualdade, reforma agrária, moradia, educação e trabalho escravo, informou a Organização das Nações Unidas (ONU) nesta segunda-feira.

Agência Estado |

Comitê da entidade pelos direitos econômicos e sociais pede uma revisão do Bolsa Família, uma maior eficiência do programa e sua universalização. Por fim, constata: a cultura da violência e da impunidade reina no País.

O comitê está preocupado pelo fato de, apesar de contribuições significativas para a redução da pobreza, o Programa Bolsa Família estar sujeito a certas limitações, diz o relatório final.

A ONU sugere que o Brasil amplie o Bolsa Família para camadas da população que não recebem os benefícios, incluindo os indígenas. E cobra a revisão dos mecanismos de acompanhamento do programa para garantir acesso de todas as famílias pobres, aumentando ainda a renda distribuída.

Há duas semanas, o comitê sabatinou membros do governo em Genebra, na Suíça. O documento com as sugestões é resultado da avaliação dos peritos do comitê que inclui o exame de dados passados pelo governo e por cinco relatórios alternativos apresentados por organizações não-governamentais (ONGs).

Os peritos reconhecem os avanços no combate à pobreza, mas insistem que injustiça social prevalece. Um dos pontos considerados como críticos é a diferença de expectativa de vida e de pobreza entre brancos e negros.

A sugestão da ONU é que o governo tome medidas mais focadas. Na visão do órgão, a exclusão é decorrente da alta proporção de pessoas sem qualquer forma de segurança social, muitos por estarem no setor informal da economia.

Escravidão

Para a ONU, há um número elevado de brasileiros trabalhando em condições similares à escravidão, e acusa o uso dessas práticas nas plantações de cana-de-açúcar, em expansão pelo comércio de etanol, e no setor madeireiro.

Um dos alertas é que o trabalho escravo está atingindo jovens nas famílias mais pobres. Já no trabalho infantil, os peritos pedem um maior esforço nessa questão, além de processos judiciais contra os autores dos crimes. As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".

Leia mais sobre: programas sociais

    Leia tudo sobre: bolsa famíliaonu

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG