Ônibus em SP tem 205 queixas por dia

O serviço de ônibus municipal recebeu 205 queixas por dia de passageiros descontentes com o transporte coletivo oferecido na capital nos primeiros cinco meses deste ano. De janeiro a maio, a São Paulo Transporte (SPTrans), empresa que gerencia o sistema, recebeu 30. 964 reclamações.

Agência Estado |

A Prefeitura afirma que o número é pequeno e disse que a média do ano passado foi de 230 por dia.

Segundo relatório da SPTrans a que o JT teve acesso, as queixas mais frequentes neste ano e em 2008 foram: intervalo excessivo da linha (20%), motorista que não atende o sinal de embarque e desembarque (18%), conduta inadequada do operador (9%), conduzir o veículo com direção perigosa (9%) e tratar usuário com falta de urbanidade e destrato (6%).

Também aparecem no relatório reclamações sobre motoristas com sinais de embriaguez. Veículo superlotado, falta de limpeza dos carros, motorista conversando ao volante, mau estado de conservação do coletivo, demora na partida, luzes do letreiro apagadas à noite, motorista se recusar a prestar informações sobre o itinerário, ou interromper ou atrasar propositalmente estão entre os problemas apontados.

A campeã das queixas foi a linha 6291/10, que faz o trajeto Inocoop Campo Limpo ao Terminal Bandeira, ligando o extremo da zona sul ao centro da capital. A Central de Relacionamento com o Cidadão recebeu 380 reclamações de passageiros sobre essa linha.

A maioria dos usuários (310) ligou para reclamar que os ônibus descumprem ou não realizam partidas programadas. Isso pode significar que a empresa não está cumprindo o total de viagens por trajeto acordado no contrato, afirma o promotor Saad Mazloum, autor de um inquérito civil que apura a atuação da Secretaria Municipal de Transportes, que firmou os contratos com as empresas de ônibus, e a SPTrans.

Outros 44 passageiros que usam a linha 6291/10 queixaram-se também de intervalo excessivo entre os ônibus. Se ao invés de passar dez vezes naquele trecho o ônibus passa apenas seis vezes, com certeza vai gerar superlotação, demora entre um veículo e outro, além de excesso de velocidade, afirma Mazloum. As informações são do Jornal da Tarde .

Leia mais sobre ônibus

    Leia tudo sobre: ônibus

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG