ONG Católicas critica Lula por ceder à CNBB

A organização não-governamental (ONG) Católicas pelo Direito de Decidir divulgou ontem uma nota na qual critica o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva pelas mudanças feitas no texto do 3º Programa Nacional de Direitos Humanos. Segundo o comunicado, a eliminação de questões polêmicas, como o aborto e a união civil entre pessoas do mesmo sexo, é um recuo ligado a interesses eleitorais.

Agência Estado |

A nota é uma reação às manifestações da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), contrária à posição original do governo de apoiar projetos de lei favoráveis à não-criminalização do aborto e à união civil de homossexuais.

"Um governo que é respeitado no cenário internacional como democrático e defensor dos direitos humanos dobra-se à pressão política da hierarquia católica, sobrepondo interesses eleitorais à vida das mulheres e à dignidade de pessoas homossexuais", afirma a organização.

Entre os grupos de direitos humanos que já se manifestaram em defesa do texto original do programa transformado em decreto presidencial no fim do ano passado, nenhum outro havia sido tão duro quanto o grupo católico. A nota defende a laicização do Estado, ataca as interferências da CNBB nas instâncias públicas e acusa o governo de subserviente.

"Católicas pelo Direito de Decidir repudia tanto o intervencionismo autoritário da hierarquia da Igreja, quanto a subserviência do governo federal, que, visando às eleições, joga no lixo o processo de debate público realizado amplamente com a sociedade brasileira para chegar ao texto do Programa Nacional de Direitos Humanos lançado em dezembro de 2009", afirma a nota. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo .

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG