ONG aponta prostitutas de 12 anos nas ruas do Guarujá

Um diagnóstico sobre a exploração sexual de crianças e adolescentes no Guarujá, na Baixada Santista, revela que há meninas de apenas 12 anos fazendo programas nas ruas do município, que as jovens chegam a faturar R$ 400 por noite e que, embora a cidade seja turística, o fenômeno não se caracteriza como turismo sexual. A pesquisa foi desenvolvida pela organização não-governamental Meninos da Enseada.

Agência Estado |

Consultora do estudo, a assistente social Neide Gravato da Silva se surpreendeu com a pouca idade das meninas. “A gente esperava (pessoas) um pouco mais velhas. Pela nossa experiência, você encontra meninas de 12 anos quando há uma rede de exploração”, conta a pesquisadora, afirmando que o trabalho no Guarujá acontece de forma autônoma. “Elas foram fazer o comércio de sexo por meio de uma amiga, que falou que conseguia dinheiro e chegou à comunidade com roupa legal e celular novo.” As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG