Onda de calor causa morte de 32 idosos em Santos

Trinta e duas pessoas, entre 60 e 97 anos, morreram em Santos (SP) entre segunda e terça-feira com sintomas de desidratação e falência dos rins provocados pelo calor de até 40 graus registrado na cidade.

Matheus Pichonelli, iG São Paulo |

De acordo com a Secretária Municipal da Saúde, os idosos sofriam com problemas como hipertensão, diabetes ou doença pulmonar, que foram agravados por causa da temperatura elevada.

Além do calor, a cidade praticamente não registrou chuvas nos últimos dez dias ¿ segundo a prefeitura, só houve precipitações em Santos a partir de terça-feira.

A prefeitura registrou 15 mortes após atendimento em três pronto-socorros da cidade. Os outros 17 óbitos aconteceram nas residências.

O município recebe por mês, em média, 24 chamadas de falecimento em residência, geralmente ocorrido por morte natural de idosos. Nesses casos, a prefeitura providencia a remoção dos corpos.

A situação atípica levou a prefeitura a iniciar uma campanha para que sejam redobrados os cuidados com a alimentação e hidratação em dias de calor. As recomendações estão sendo feitas em escolas, serviços de assistência social e centros de convivência de idosos.

Uma das orientações é para que crianças e idosos evitem se expor ao sol ou fiquem em ambientes quentes, usem sempre roupas leves, consumam dois litros de líquido por dia e se alimentem com frutas e verduras. A automedicação não é indicada.

A desidratação acontece quando a eliminação de água do corpo supera a sua ingestão. Os idosos, segundo a secretaria, sentem menos sede e, por isso, bebem menos água; consequentemente produzem menos urina. Cabe aos parentes incentivar a ingestão de líquidos entre os mais velhos, alerta a secretaria.

No caso das crianças, a orientação é que os pais não esperem que as crianças peçam água, que deve ser oferecida a toda hora, assim como frutas e sucos.

Vômito, diarreia, uso de diuréticos, febre, que pode ser ocasionada por alguma infecção, também podem agravar a perda de água no organismo.

"É preciso saber reconhecer os sintomas mais comuns, como sede intensa, redução na eliminação de urina, boca e lábios secos, pulsação rápida e olhos secos", diz o coordenador de Saúde do Adulto e do Idoso de Santos, Luiz Fernando Gomes da Silva, em nota publicada pela prefeitura.

O secretário de Saúde do municipio, Odílio Rodrigues Filho, afirmou que o número de chamadas realizadas aos serviços de emergências durante esses dias foi de 220. A média diária é de 130.

Em outras regiões do País o calor também tem causado transtornos. No Rio de Janeiro, os termômetros chegaram a marcar 42 graus várias vezes nos primeiros dias de fevereiro.

Na semana passada, o governo brasileiro informou que, devido à intensa onda de calor, o consumo de energia no país chegou a picos históricos e que a demanda por eletricidade aumentou 12,1% em janeiro em relação ao mesmo mês de 2009.

Com informações da Efe

Leia mais sobre: Calor

    Leia tudo sobre: caloridosos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG