OMS eleva gripe H1N1 à pandemia; casos no Brasil chegam a 52

GENEBRA/SÃO PAULO (Reuters) - A Organização Mundial da Saúde (OMS) elevou nesta quinta-feira o nível de alerta do vírus da gripe H1N1 para a fase 6, em uma escala de seis pontos, o que significa uma pandemia. A OMS decidiu elevar o alerta devido ao surto da doença, conhecida como gripe suína. Isso significa que o mundo está entrando nos primeiros dias da primeira pandemia do vírus influenza no século 21, disse a repórteres, em Genebra, a diretora-geral da OMS, Margaret Chan.

Reuters |

Mais cedo, os governos da Suécia, dos Estados Unidos e do Brasil já haviam informado que a OMS estava elevando o nível de alerta da gripe H1N1 para o nível máximo.

No Brasil, a ministra interina da Saúde, Márcia Bassit, disse que 52 casos foram confirmados, acima dos 43 informados pelo ministério na quarta-feira. Segundo Márcia, 75 por cento dos casos confirmados, ou 39, foram importados de outros países. Muitos desses pacientes já receberam alta.

"Esta nova fase de alerta não significa maior gravidade... A nossa responsabilidade é de continuar a proteger a sociedade brasileira", afirmou ela.

Ainda conforme a ministra interina, a letalidade da doença em todo o mundo é de 0,5 por cento, "o que é considerada muito pequena pela OMS".

"A transmissão no Brasil continua limitada. O Brasil se antecipou a todas as medidas anunciadas pela OMS", disse.

É a primeira vez desde 1968 que há uma declaração da OMS de um alerta de pandemia de gripe. Ainda assim, a OMS não recomenda aos países o fechamento de suas fronteiras e informou que não há restrição sobre a circulação das pessoas, bens e serviços.

(Reportagem de Stephanie Nebehay, em Genebra, e Adriane Piscitelli, em São Paulo)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG