Olimpíada de Inverno faz sucesso na TV e no turismo

Olimpíada de Inverno faz sucesso na TV e no turismo Por Bruno Deiro* Vancouver, 25 (AE) - Pode ter sido efeito colateral do calorão das últimas semanas no Brasil. Ou a alternativa encontrada por quem não gosta de assistir pela TV aos desfiles do Sambódromo.

Agência Estado |

Ou nada disso. Certo é que o inesperado aconteceu. Apesar de nossa modesta delegação e do fato de, em geral, sermos tão eficientes sobre esquis quanto os canadenses no samba, a Olimpíada de Inverno, em Vancouver, está dando Ibope. Na televisão e no turismo.
A Record registrou picos de audiência e o Sportv obviamente não se saiu mal com a transmissão. O país dos Jogos, por sua vez, somou pontos ao mostrar ao mundo a estação de Whistler, na Colúmbia Britânica. Muitíssimo conhecido pelos experts e sempre citado como o melhor do mundo por revistas especializadas, o resort não é um destino óbvio para os brasileiros, que têm em Aspen, nos EUA, seu complexo de esqui favorito. Em tempo: a estação canadense é 17 vezes maior que a americana.

Por algo conhecido como fator Murphy, o clima neste ano, infelizmente, está atípico nas Montanhas de Whistler e Blackcomb: mais quente, chuvoso... Isso quando as condições normais de temperatura e pressão durante a temporada, entre novembro e abril, são frio intenso (que garante a neve mais que perfeita) e muito agito.

A já excelente infraestrutura da estação - aliás, decisiva para que Vancouver fosse escolhida para sede dos Jogos - passou por benfeitorias nos últimos cinco anos e agora está em plena forma. São mais de 3 mil hectares esquiáveis, divididos entre as duas montanhas. Whistler, a 2.182 metros de altura, tem 80% das trilhas consideradas de nível médio e difícil. O restante do espaço recebe famílias e crianças que estão tomando seus primeiros tombos.

Blackcomb, a 2.284 metros, reserva 30% das pistas para profissionais. Por isso mesmo, competições de algumas modalidades foram disputadas na montanha. Os picos são interligados pelo Peak2Peak, teleférico que permite percorrer 4,4 quilômetros em 11 minutos.

EXTRAS
Depois que as pistas se fecham, é hora de mais diversão. Whistler oferece après-ski para baladeiro nenhum botar defeito. A cidadezinha em si tem não mais que 10 mil moradores, mas reserva muitas opções de bares e restaurantes, além de um sortido leque de grifes.

Se a ideia for apenas guardar energia para o dia seguinte, nem pense duas vezes. Peça uma boa porção de carne vermelha - de preferência, o bife com osso do HY’s Steakhouse. Você não vai se decepcionar.

* Viagem a convite do Canadian Tourism Commission e da Air Canada

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG