RIO DE JANEIRO - Uma equipe de técnicos da Gerência de Qualidade da Água do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) do Rio de Janeiro será deslocada nesta terça-feira, para o Rio Paraíba do Sul, no sul fluminense, onde foi detectado ontem um vazamento de óleo de uma tubulação da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN).

A captação da água do rio por enquanto está mantida e não há ainda sinais de contaminação grave, mas, segundo o Inea, a CSN será multada por não ter avisado de imediato as autoridades ambientais sobre o acidente.

Esta é a segunda vez, em pouco mais de um mês, que a CSN se envolve com problemas ambientais.

No fim de junho, uma espessa nuvem de fuligem de carvão cobriu parte da cidade de Volta Redonda, no centro-sul do Estado do Rio. A poluição foi causada por um problema no alto-forno 3 da Usina Presidente Vargas.

A CSN afirmou, em nota, que o vazamento da fuligem foi causado por uma "uma sobrepressão no topo do forno", que provocou a abertura das válvulas de alívio, deixando escapar o material poluente por dois minutos e 19 segundos. Na ocasião, o Inea também autuou a empresa.

Leia mais sobre: vazamento

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.