Depois de oito dias da tragédia da madrugada do dia 1º deste mês no município de Angra dos Reis, quando 52 pessoas morreram em consequência de desabamentos provocados pelas fortes chuvas que atingiram a cidade, os bombeiros ainda procuram os corpos de dois desaparecidos.

  • Veja as imagens do deslizamento em Ilha Grande
  • Assista aos vídeos sobre a tragédia em Angra dos Reis
  • Você tem informações sobre a tragédia em Angra? Envie ao Minha Notícia
  • Apesar de tragédia, Angra espera mais de 500 mil turistas

    AE
    Bombeiros e Defesa Civil continuam as buscas por corpos de vítimas dos deslizamentos no Morro da Carioca

    Bombeiros e Defesa Civil continuam as buscas por corpos de vítimas

    Um deles é a menina Alexandra, de 11 anos, filha do ajudante de obras Jorge Carvalho, de 43 anos, que perdeu a mulher e cinco dos oito filhos, entre eles um bebê de oito meses, no deslizamento de terra no Morro da Carioca. O outro é o de Roseli Pedroso, moradora da Enseada do Bananal, na Ilha Grande, onde mais 31 pessoas morreram em conseqüência dos desmoronamentos.

    Os bombeiros acreditam que o corpo de Roseli esteja sob uma enorme pedra que rolou junto com a lama pela encosta, destruindo várias casas e a Pousada Sankay.

    As equipes da Defesa Civil e do Corpo de Bombeiros reiniciaram nesta sexta-feira de manhã as buscas nos dois locais. Na quinta-feira, choveu forte nas imediações da cidade, mas fora dos dois principais pontos da tragédia.

    Nesta sexta-feira, Angra amanheceu com tempo bom e sol forte. Faz muito calor na cidade, cujas encostas cercadas por casas, muitas em áreas consideradas de risco, mostram os estragos causados pela chuva: há rasgos imensos em meio às matas e em alguns pontos lonas negras sinalizam a interdição de moradias sob risco de desabamento.

    Enquanto as equipes de busca continuam o trabalho, a cidade procura retomar a rotina e recuperar sua atividade principal: o turismo. Ontem, a empresa de turismo (TurisAngra) reuniu reuniu representantes de operadoras, empreendedores e donos de pousadas no Centro de Estudos Ambientais (CEA) para debater a situação do setor e tentar levantar os prejuízos decorrentes da tragédia.

    Tragédia

    A tragédia em Angra dos Reis ocorreu na madrugada de sexta-feira (1º), quando parte da Pousada Sankay e sete casas vizinhas, na Praia do Bananal, foram soterradas por um barranco.

    Já no Morro da Carioca, em Angra, pelo menos 20 casas foram atingidas por um deslizamento de terra. Segundo os bombeiros, dez pessoas foram socorridas com vida. Os feridos foram levados para o pronto-socorro da cidade.

    Governo vai liberar R$ 80 mi para Angra

    Leia também:

    Leia mais sobre Angra dos Reis

    • Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.